[Resenha] These Curious Toughts – Xrays of Imagination (2017)

0
1. Xrays of the Imagination

2. When Our Heroes Die
3. Spaceship Girl
4. I Sit in Silence
5. Madman and Genius
6. Surrounded by Roses
7. Spaghetti for My Yeti
8. Willy Wonka of the Vinyl World

Folk Rock / Progressivo / Experimental, Viaduct Records

Faz uns bons anos que eu conheço o These Curious Toughts, sobretudo por conta do sempre excelente e carismático Jim Radford, que é o letrista da banda. Se você não conhece o grupo, está perdendo muito tempo. Eles fazem uma mistura bem legal de folk rock com psicodélico e também com progressivo. Tudo isso numa proposta de fazer um som bastante gostoso de ouvir, ao mesmo tempo que intenso. Os ritmos que influenciam cada uma das músicas estão conectados com as letras e com a ideia central, oferecendo melodias que vão do krautrock ao acid rock.

Em seus mais de sete minutos a faixa Xrays of the Imagination apresenta uma curiosa mistura de folk rock setentista com alguma coisa de acid rock. É uma faixa que muda constantemente de ritmo, lembrando em alguns bons momentos o Pain of Salvation. Saindo um pouco do folk e apostando um bocado no post-punk, When Our Heroes Die é uma música mais introspectiva, com um ritmo mais melancólico, com um quê de David Bowie, mudando no meio da música para um ritmo bem mais voltado ao funk na linha do James Brown. A faixa seguinte e também a minha favorita deste trabalho, Spaceship Girl, tem muito de jazz com o chamado art rock. É uma música complexa, que também singra para o krautrock em alguns momentos, tudo com experimentalismo. I Sit in Silence volta a trazer introspecção, sendo possível notar muitas influências de Pink Floyd e também do R.E.M.

Uma bela abertura acústica nos introduz a Madman and Genius, remetendo a características de neofolk que existem nos trabalhos anteriores. Com muita psicodelia setentista Surrounded by Roses chega, trazendo funk, jazz, prog rock, mais ou menos como o grande mestre Steven Wilson faz em alguns trabalhos. É uma bela canção, muito envolvente, que depois dá lugar ao new wave de Spaghetti for My Yeti. Tem um bocado de referências ao New Order, o que é muito bom. Como forma de fechar o disco, Willy Wonka of the Vinyl World é a música mais “normal” dentro desta obra. Dá pra sentir muitas referências ao Marillion e a muito do prog rock britânico.

No geral, é um bom disco e também melhor ainda se você puder prestar atenção nas letras. Jim Radford dá um tom extremamente non-sense ao conjunto, com ideias que fazem um excelente tributo ao rock setentista. Portanto, é uma boa pedida este disco, você precisa escutá-lo

Compartilhe
Share

YLVA: escute a faixa “Lapse”

0

Recebi essa música sensacional do povo da Pelagic Records e, putaquepariu, que banda foda. Vindo diretamente da Austrália, o grupo acabou de soltar a faixa “Lapse”, que vai estar presente no seu primeiro trabalho, Metadata, a ser lançado pela Pelagic Records no dia 17 de novembro. Você também pode encomendar aqui o disco dos caras.

Recomendado se você curte grupos como Isis, Neurosis, Culf of Luna, Pelican e qualquer grupo mais brutal de post-metal. Uma pedida que vai encher os ouvidos de vocês.

Links Relacionados

https://www.facebook.com/YLVA-772237696226723/

http://ylva.bandcamp.com/releases

Compartilhe
Share

Groundcast#99 – Crimes cometidos por artistas

0

Saudações amigos e amigas, além de criminosos e fugitivos de plantão. Estamos com mais um programa, nessa semana falando sobre crimes cometidos por músicos. Saiba quem botou fogo numa floresta, quem foi preso por atos obscenos e como incitar populares a revoltas.

Também aproveitamos para trazer um mini-dossiê do senhor Varg Virkenes, falando um pouco sobre as polêmicas que envolveram o assassinato do Euronymous e outros crimes cometidos pelo músico.

Gostou do nosso programa? Então deixe seu comentário abaixo.

Siga-nos no Twitter: https://twitter.com/groundcast

Dê um curtir na nossa fanpage: https://www.facebook.com/groundcast

Assine o podcast no iTunes

Ajude o Groundcast dando aquela nota 5 no iTunes.

Compartilhe
Share

Hammerhead Blues lança ‘Caravan of Light’ em CD

0

Foto: Renan Paiva

 
 

Num ano de muitas conquistas, o power trio Hammerhead Blues confirma mais duas datas, estas com caráter especial, para o lançamento do álbum ‘Caravan of Light’ em CD, pela Abraxas Records.

 
 

Os shows acontecerão dia 20 de outubro, em São Paulo (Espaço Som), e dia 21, no Rio de Janeiro (La Esquina). Nas duas ocasiões, ‘Caravan of Light’ e o EP homônimo, de 2014, serão executados ao vivo na íntegra, e as entradas custarão R$ 20 antecipadas online, ou R$ 25 na hora. Também há a opção de comprar o ingresso mais o CD por apenas R$ 35 (sem taxa de conveniência).

 
 

De abril a outubro, o Hammerhead Blues se manteve ativo em palcos pelo Brasil e a carga energética das nove músicas do álbum – um hard rock encorpado com a aura setentista, ritmos psicodélicos e o feeling do blues – só ficava cada vez mais potente e conquistando novos espaços no concorrido cenário do rock nacional.

 
 

A banda lançou recentemente o videoclipe da música ‘Rat’, que conta com a participação especial do ator Pascoal da Conceição, famoso pelo personagem Dr. Abobrinha do Castelo Rá-Tim-Bum. Assista aqui: https://www.youtube.com/watch?v=F1MmCq5biOM&feature=youtu.be

 
 

SERVIÇO

 
 

Hammerhead Blues em São Paulo

Data: 20 de outubro

Horário: 21 horas (abertura da casa)

Local: Espaço Som

Endereço: rua Teodoro Sampaio, 512, em Pinheiros

 
 

Hammerhead Blues no Rio de Janeiro

Data: 21 de outubro

Horário: 18 horas (abertura da casa)

Local: La Esquina

Endereço: avenida Mem de Sá, 61, na Lapa

 
 

Evento: https://www.facebook.com/events/1774235055923912

Ingresso: https://www.sympla.com.br/hammerhead-blues—lancamento-do-cd-caravan-of-light—sp-e-rj__190453

 

 

 


Compartilhe
Share

Groundcast#98 – Músicas sobre a escola

0

Depois desse feriado, voltamos a nossa programação normal com mais um programa Groundcast. Nessa semana a gente resolveu falar um pouco sobre as músicas que falam da escola, daquele momento bom e ruim da vida de todo mundo. Saiba curiosidades e escute músicas de gente como Rush e Twisted Sisters.

Comentado no programa

Hermes e Renato – Escola de Recuperação para Baitolas

https://www.youtube.com/watch?v=elcgwV-DzDc

Van Halen – “Hot For Teacher” (Official Music Video)

https://www.youtube.com/watch?v=6M4_Ommfvv0

The Police – Don’t Stand So Close To Me

https://www.youtube.com/watch?v=KNIZofPB8ZM

Alice Cooper – School’s Out

https://www.youtube.com/watch?v=mBqiC5ox8Bw

1.The Police – Don’t Stand So Close to Me

2.Pink Floyd – Another Brick In The Wall, [Part Two]

3.Twisted Sister – Be Chrool To Your Scuel

4.Rush – Subdivisions

5.Gabriel o Pensador – Estudo Errado

6.Alice Cooper – School’s Out

Gostou do nosso programa? Então deixe seu comentário abaixo.

Siga-nos no Twitter: https://twitter.com/groundcast

Dê um curtir na nossa fanpage: https://www.facebook.com/groundcast

Assine o podcast no iTunes

Ajude o Groundcast dando aquela nota 5 no iTunes.

Photo credit: DFAT photo library via Visualhunt / CC BY

Compartilhe
Share

ENTREVISTA: Infinitas

0

Conversamos com Selv Martone, guitarrista da banda Infinitas da Suíça. Em um papo descontraído ele nos contou um pouco da trajetória de sua banda e um pouco do álbum de estréia da banda. Para quem gosta de heavy metal é uma boa pedida.

GroundCast: Você poderia no contar como a banda começou?

Piri e eu tocamos juntos em uma banda de rock desde 2005. Então começamos um projeto mais voltado para o metal, que é a nossa verdadeira paixão.

Queríamos criar algo extraordinário e investir mais nesse projeto. Em 2009 a coisa começou a tomar forma no que hoje é o Infinitas. A nossa antiga banda de rock não está mais na ativa, mas continuamos bons amigos.

Desde o começo nós sabíamos o que queríamos, violino ao invés de uma segunda guitarra e uma vocal feminina que tivesse uma voz agressiva.

GroundCast: Quais são as suas influências?

Posso citar algumas que nos inflienciam dentro do grande espectro de bandas que gostamos: Children of Bodom, Opeth, Wintersun, Iron Maiden, Kreator, Amorphis e Ensiferum.

GroundCast: A banda tem um EP de 2015 chamado “Self-Destruction” e um álbum chamado “Civitas Interitus”. Vocês podem dizer o que mudou na banda entre esses dois lançamentos?

Exceto pelo line up, nós não mudamos muito. Nos mantivemos focados no que queríamos e no estilo que queremos tocar. Diria que o primeiro álbum é uma continuação do EP.

GroundCast: Fale um pouco do primeiro álbum, ele é um disco conceitual, gostariam de dizer algo com as músicas, tanto com letras quanto com a melodia?

Todas as músicas da banda (exceto por intros e outros) levam nomes de demônios. Decidimos seguir essa linha logo do começo. Queremos ser flexíveis quanto ao conceito, mas que trouxesse algo poderoso e consistente. Demônios são perfeitos para isso, cada um tem suas próprias características e podemos falar sobre independente do período que retratamos.

Também queremos mostrar que nem sempre eles (demônios) são sempre os vilões. Nos dias de hoje muitos podem ver eles como “fantasmas” o que não é necessariamente bom ou mal. E para deixar claro, não somos cultistas ou satanistas e somos netros quanto a religião.

Com nosso primeiro álbum nós expandimos esse conceito. “Civitas Interitus” significa Cidade da Destruição em latim. Inventamos uma cidade medieval chamada “Lunatris” que começa a ser assombrada por demônios e destruída. No disco nós seguimos o passo do protagonista da história quando ele passa pela cidade e desesperadamente procura por ajuda. Ele é o único sobrevivente desta trágica noite. Cada música é um lugar diferente da cidade, que você pode ver representado no encarte.

GroundCast: Como funciona o processo de composição da banda e como vocês podem comparar o processo de composição do primeiro EP para o álbum e qual evolução enxergam em sua música?

 Bom, sou o compositor principal da banda. Primeiramente componho algumas melodias (guitarra, violino, etc). Então mostro para a banda e a composição começa a tomar forma. Piri e eu trabalhamos na bateria e experimentamos bastante para conseguirmos a batida ideal. Os vocais normalmente deixo na mão da Andrea, ela tem um feeling muito bom para melodias. Andrea, Piri e eu escrevemos as letras.

É difícil o que mudou na composição, talvez algo aqui e ali e quanto as músicas, elas já eram parte de nosso repertório quando produzimos o primeiro EP (se referindo as músicas do primeiro álbum). Acredito que nosso novo material é mais individual.

GroundCast: Pesquisei um pouco e o site metal-archives diz que a banda foi criada em 2009. Por qual razão foram necessários 6 anos para lançar o primeiro material?

Essa é uma boa pergunta, o que estávamos fazendo todo esse tempo? Parece bastante tempo, mas nós sempre estivemos ocupados. A banda foi fundada em 2009, mas o line up só foi complete em 2010 e em 2011 começamos a tocar em alguns lugares. Infelizmente após um ano a nossa vocalista Isabelle deixou a banda e Andrea se juntou a nós em 2013 e então começamos as gravações do EP.

Durante a produção do EP tivemos muito o que aprender, pois o produzimos praticamente sozinhos e isso contribuiu para mais atrasos. Lançamos o EP “Seld-Destruction” em 2015 e já começamos a trabalhar no álbum “Civitas Interitus” e com o conhecimento que ganhamos conseguimos agilizar o processo.

GroundCast: Quando eu penso em Suíça – referente a metal – alguns nomes como   Celtic Frost/Triptykon, Eluveitie e Mirrorthrone aparecem na minha mente. Como é a cena metal daí, o que você acredita que poderia melhorar?

Suíça é um paraíso para o metal, temos muitas bandas com músicos extremamente competentes. A cena é muito unida e se quiser podem ver em nosso site que temos uma lista com as bandas que gostamos: http://www.infinitasband.ch/infinitas-friends.html

GroundCast: Vivemos na época da internet, onde você acha quase praticamente tudo para download. Qual a sua opinião a respeito?

 Acredito que hoje em dia as pessoas baixem menos do que há 10 anos, pelo menos é o que vejo ao meu redor. A ideia de serviços de streaming é muito boa, mas a parte ruim é que você precisa de uma tonelada de pessoas ouvindo suas músicas para que você ganhe algo com elas. Provavelmente muitas pessoas não fazem idéia do quão pouco bandas pequenas lucram com isso e por isso eu digo, se você gosta de uma banda você deveria comprar o merchandising diretamente com eles se possível.

 

GroundCast: O que o nome Infinitas representa para a banda?

 

Infinitas é latim para eternidade – e as nossas músicas são infinitamente longas. 😊

 

Agora sério, acredito que o nome expressa nossa criatividade e como tentamos fazer o nosso melhor.

 

GroundCast: Você conhece alguma banda do Brasil?

 

Sepultura e Soulfly. Arise é o meu álbum favorito do Sepultura.

 

GroundCast: Obrigado pela entrevista, agora o espaço é de vocês para dizer algo aos nossos leitores.

Obrigado pela entrevista e eu gostei muito das perguntas, quero também agradecer quem ler até o final e convidamos vocês a visitarem nossos site (https://infinitasband.ch)  e curtirem nossa página no facebook (https://facebook.com/infinitasband/).

Agora fechem os olhos e ouçam nossa música, hell yeah!

 

Compartilhe
Share

Shipwrecks: Assista o clipe de “Monument”

0

O grupo de post rock Shipwrecks acaba de lançar o vídeo de seu primeiro disco, Monument, que será lançado no dia 10 de novembro deste ano.

O álbum conta com uma musicalidade bastante ambiente, misturando o rock ambiente com field recording e alguns instrumentos exóticos, como tímpanos e outros tipos diferentes de percussão, para criar um clima envolvente e ao mesmo tempo melancólico.

Se você gosta de Explosions in the Sky, eu pessoalmente não perderia este lançamento, que pode ser ouvido e / ou adquirido por aqui.

Links Relacionados

http://www.facebook.com/shipwrecksmusic

http://shipwrecks-music.bandcamp.com/releases

http://www.instagram.com/shipwrecksmusic/

http://shipwrecks-music.com/

http://www.youtube.com/channel/UCT02cwVPZTmCavhADv3qOoQ

Compartilhe
Share

Radiola#10 – Raul Seixas

0

Saudações amigos e amigas do nosso programa radiológico. Trazemos nessa semana um especial com as músicas do Raulzito e também aproveitamos para comentar um pouco mais sobre a carreira dele, sobretudo aquilo que ficou de fora do último programa.

Trilha de Fundo: Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10

Setlist

1.Raulzito e os Panteras – Você Ainda Pode Sonhar

2.Raul Seixas – Sociedade Alternativa

3.Raul Seixas – As Minas Do Rei Salomão

4.Raul Seixas – As Minas do Rei Salomão

5.Raul Seixas – Tente outra vez

6.Raul Seixas – Maluco Beleza

7.Raul Seixas – Aluga-se

8.Raul Seixas – Cowboy Fora da Lei

9.Raul Seixas & Marcelo Nova – Rock n’ Roll

10.Raul Seixas & Marcelo Nova – Carpinteiro do Universo

11.Raul Seixas & Marcelo Nova – Pastor João e a Igreja Invisível

Gostou do nosso programa? Então deixe seu comentário abaixo.

Siga-nos no Twitter: https://twitter.com/groundcast

Dê um curtir na nossa fanpage: https://www.facebook.com/groundcast

Assine o podcast no iTunes

Ajude o Groundcast dando aquela nota 5 no iTunes.

Compartilhe
Share

Lo!- Escute na íntegra o disco “Vestigial”

0

Você certamente deve ter visto o clipe maravilhoso que o Lo! lançou estes tempos para a música Locust Christ, certo? É uma porrada lascada de fodida do caralho e agora temos a honra de trazer para vocês o disco completo, que sai agora dia 06 de outubro pela Pelagic Records. Então aumente o volume que está muito bom.

Você pode encomendar Vestigial neste link maroto aqui: http://bit.ly/lovestigialEU

Links Relacionados

https://www.nervegas.com.au/lookandbehold

https://www.facebook.com/lookandbehold/

http://www.lookandbehold.net/

Compartilhe
Share

Com show lotado, Judge inicia turnê de 30 anos de hardcore

0

O Judge iniciou de forma positiva domingo passado, 1º de outubro, a inédita turnê pela América Latina, que chega ao Brasil no dia 8, em São Paulo. No México, a lendária banda novaiorquina de hardcore fez uma calorosa apresentação para cerca de 500 pessoas e, no dia seguinte, na Colômbia, uma casa intimista ferveu e lotou inclusive o palco para cantar todos juntos, banda e público, hinos como “Warrior”, “The Storm” e “New York Crew”. No Brasil, o show da capital paulista acontece no Hangar 110 e será o último grande evento straight edge da casa, que encerra as atividades no final do ano. Garanta já o ingresso para esta noite histórica https://ticketbrasil.com.br/show/5235-judge-saopaulo-sp/ingressos.

 

O guitarrista John Porcell, que já se apresentou em outras oportunidades no Hangar 110, inclusive com a também icônica Shelter, revela ansiedade para volta a São Paulo. “Sempre adoro tocar no Brasil. Desde a primeira vez que o Shelter esteve aí, o país tem um lugar especial em meu coração e estou feliz em poder retornar com o Judge”.

 
 

Porcell também enaltece a cena hardcore straight edge que vai reencontrar no dia 8 de outubro no Hangar 110. “É fascinante ver como jovens e adultos sabem a letra e cantam conosco a plenos pulmões. Foi por isso que, antes de qualquer coisa, criamos a banda, para ser inspiração às pessoas, para nos inspirar ainda mais. Vejo vocês no pit!”

 

A última grande balada straight edge no Hangar 110 com o lendário Judge, que celebra 30 anos de carreira, também terá uma ação especial do tatuador xtetex. O renomado tatuador da cena SXE de São Paulo promoverá no dia 8 de outubro, lá mesmo na casa, um Flash Tatoo do emblemático X, símbolo que representa a ideologia, com preço promocional devido à importância do evento.

 
 

 

SERVIÇO

 

JUDGE EM SÃO PAULO

Evento: https://www.facebook.com/events/115738522375778/

Data: 8 de outubro de 2017 (domingo)

Local: Hangar 110

Endereço:  Rua Rodolfo Miranda, 110 (Bom Retiro – São Paulo/SP)

Bandas convidadas: Live by the Fist, Inspire, Malpractice e In Your Face 

 

Ingressos:
1º lote R$80 (Meia entrada / Estudante / Promocional*)
2º lote R$100 (Meia entrada / Estudante / Promocional*)
Camarote Antecipado $130,00 (Meia entrada / Estudante / Promocional*)

*(Promocional para não estudantes doando 1 kilo de alimento não perecível)
Censura: 16 anos

Onlinehttps://ticketbrasil.com.br/show/5235-judge-saopaulo-sp/

Ingressos nas lojas:
Galeria do Rock – Loja 255 (Rua 24 de Maio, 62 – 3361-6951)
Rock’n’Roll Burger (R. Augusta, 538 – Consolação – 3151-3383)

 

 

 

Compartilhe
Share

Garage Fuzz encerra 1º mês do Las Quintas no Rio de Janeiro

0

Ícone do hardcore nacional retorna à capital carioca após 5 anos

Para celebrar o encerramento do primeiro mês do projeto Las Quintas, que está movimentando a cena do rock autoral no Rio de Janeiro todas as quintas-feiras na casa La Esquina (Lapa), a lendária banda do hardcore melódico nacional Garage Fuzz, após 5 anos longe de palcos cariocas, é escalada como atração principal da noite que também terá Hover e N.D.R. O evento acontece no dia 28 de setembro, a partir das 19h30, e haverá boas vindas com shots de Jägermeister aos primeiros que chegarem.

 
 

O Garage Fuzz foi unanimidade entre as produtoras responsáveis pelo Las Quintas – Abraxas, Collapse Agency, Flecha Discos e Speed Rock – para ser a grande atração esta edição especial. Com 25 anos de estrada, os santistas mostram vigor com um hardcore de bases potentes e com os característicos dedilhados de guitarra, envolvidos em melodias para se cantar junto, do início ao fim. O show de retorno ao Rio de Janeiro terá músicas de todos os álbuns, do “Relax In Your Favorite Chair” (1994) até “Fast Relief” (2015).

 
 

A abertura fica por conta da N.D.R, a prata da casa que levanta a bandeira do hardcore com influências de rock, metal e rap.  O quarteto foi formado em 2010 e desde então preza por fazer música por meio de experimentos sonoros e experiências de vida. Na sequência, sobe ao palco a Hover, a banda mais badalada de Petrópolis, que ficou popular pelo rock alternativo cantado em inglês com bastante melodia.

 
 

SERVIÇO

Las Quintas – 4ª edição

Evento no facebook: www.facebook.com/events/125217618134045

Atrações: Garage Fuzz, Hover e N.D.R.

Data: 28 de setembro

Horário: a partir das 19h30

Local: La Esquina

Endereço: Avenida Mem de Sá, 61. Lapa-RJ

Ingresso: www.sympla.com.br/las-quintas—todas-as-quintas-de-setembro-no-la-esquina__180601

Compartilhe
Share

The Moth: escute a música “Fail”

0

Os alemães do The Moth trazem todo o peso do seu Sludge psicodélico em uma faixa do seu mais recente trabalho, Hysteria, lançado pela gravadora This Charming Man Records. O disco será lançado no dia 10 de novembro e você pode conferir uma prévia de toda a brutalidade que esse pessoal traz com a música Fail. Aumente o som porque está incrivelmente arregaçador. Confira em: https://soundcloud.com/thischarmingmanrecords/09-the-moth-fail/s-lBIH2?in=thischarmingmanrecords/sets/the-moth-hysteria-lp/s-cVMBz

Links Relacionados

http://www.facebook.com/listentoTHEMOTH/?ref=br_rs

http://the-moth.bandcamp.com/

http://www.instagram.com/listentoTHEMOTH/

Compartilhe
Share
Share