Home Entrevistas ÁGONA: Entrevista com Alan Muniz e Vinícius Bhering

ÁGONA: Entrevista com Alan Muniz e Vinícius Bhering

82
1
SHARE

Logo 300dpi

Depois de um longo hiato de participações minhas por aqui, volto por aqui e postando uma ótima entrevista que tive oportunidade de realizar com o Alan e o Vinícius da banda Ágona daqui do Rio de Janeiro. Como é perceptível para todos, cada vez mais o Rio tem exposto novas bandas de qualidade, bandas com propostas de som diferentes mas atreladas a um mesmo underground, o mesmo underground que uns defendem e fazem de tudo para o ciclo continuar a renovando-se e outros que fazem questão de deprecia-los de todas as formas possíveis. Entretanto, o Ágona era uma banda que eu sempre ouvi falar por ai, mas nunca tinha tido oportunidade de vê-los ao vivo até então, e sim me arrependo de não ter visto antes. Mas essa banda, ao lado de outras daqui do Rio estão conseguindo se manter ativas, tocando, gravando, enfim produzindo algo. Mas chega de papo ‘furado’ e vamos a entrevista, até porque vem surpresa por aí.

 

Ágona

 

GROUNDCAST Qual a origem do nome ‘Ágona’? Tem algum significado especifico que se relaciona diretamente com a proposta da banda?

Alan: Ágona é um neologismo influenciado pela palavra agonia. Está totalmente relacionado à proposta da banda, pois profetizamos esse sentimento que antecede a morte, diante da decadência e essencial putrefação que o ser humano vem propagando pelo planeta.

 

GROUNDCAST Nos comentários do vídeo da música ‘Unon’ no youtube, tem um comentário onde alguém pergunta sobre o significado deste nome, e por lá vocês responderam que tinha a ver com a história que seria contata no álbum, afinal, que história é esta?

Alan: Na verdade não é uma história contada apenas nesse álbum, ela já está sendo contada desde o “Karma”. O “Homo grotescus” é só mais um capítulo. Eu não posso revelar a história toda, mas até aqui já falamos sobre a lei do Karma que é como a gravidade, existe mesmo que você não acredite; a Essencial Putrefação, que é a decadência humana; e agora o Homo grotescus que é a involução e personificação da Essencial Putrefação. Esse álbum está mais explícito, então se você pegar as letras vai entender um pouco do que estamos construindo. Nossa ideia é revelar a história com todos os detalhes apenas no futuro.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=2Yt6QjkrPI4]

 

GROUNDCAST No mês passado acho eu, fui num show de vocês onde tocaram outras bandas como o Hatefulmurder, e durante a sua apresentação o vocal, Alan, disse que ele é bibliotecário. Poderíamos ligar este fato diretamente a opção de criar uma história nas músicas compostas para o álbum?

Alan: Para esse álbum em partes, pois a maior parte dele partiu das ideias do nosso guitarrista Leonardo Milli. Já os dois primeiros tiveram um pouco dessa influência. Na minha formação estudamos muito as questões relativas a memória, informação, etc. E o que eu quis foi construir termos que seriam a base da história e que ficariam na memória das pessoas. Digamos que o Karma e o Essencial Putrefação são os conceitos do plano das ideias, da metafísica disso, e o Homo grotescus é a materialização inicial da história.

 

GROUNDCAST O álbum da banda que se chama ‘Homo Grotescus’ acabou de ser lançado praticamente. Como tem sido a receptividade do álbum na visão da banda?

Vinícius: Tem sido a melhor possível! Estamos recebendo excelentes críticas não só aqui no Brasil, mas lá fora também. Esperamos em breve fazer uma turnê maior do que fizemos no “Essencial Putrefação”. Ficamos um bom tempo produzindo o álbum e podemos dizer que valeu à pena todo esse trabalho.

 

GROUNDCAST A internet, logicamente é uma ferramenta com uma abrangência de público jamais vista antes. Como vocês utilizam essa ferramenta, seja publicando suas músicas para download, seja na interação direta com aqueles que escutam a banda etc?

Vinícius: Por sermos totalmente independentes, esse é o nosso maior veículo para a divulgação do nosso trabalho. Por conta disso, temos que nos desdobrar, seja para fazer as artes pra divulgação ou até mesmo passar horas divulgando para o maior número de pessoas. Gostamos de manter uma relação de amigo com os fãs, atendemos todos eles, conversamos durante os shows, via facebook, enfim, gostamos de manter uma relação de amizade com todos aqueles que estão com a banda.

 

GROUNDCAST Recentemente vi uma publicação sobre uma parceria da banda e a marca de roupas, Inverso, onde a pessoa que digitar um código além de receber desconto vai ajudar a banda. Como essa ajuda realmente chega a vocês? E como também vocês avaliam essa iniciativa?

Vinícius: Recebemos o valor referente ao desconto em qualquer peça que o cliente comprar. A Inverso Clothings é uma das marcas mais promissoras do mercado nacional. Ela tem parceria não só conosco, mas com mais algumas bandas do cenário nacional. Podemos dizer que é a junção do “útil ao agradável”, usamos a visibilidade que o Ágona tem e, por consequência, fazemos a mesma coisa com a Inverso. Além de ser uma ótima parceira é super profissional! Parceria como esta, deve acontecer cada vez mais!

 

GROUNDCAST O que a banda pensa a respeito da divulgação e em consequência um repasse do material na internet. Pegando o próprio álbum de vocês, fazendo uma rápida pesquisa via Google dá pra perceber que o álbum é encontrado facilmente para download em diversos blogs de vários países. Vocês encaram este fato como “pirataria” ou como uma consequência da abrangência que a música da banda está fazendo que leva as pessoas a quererem compartilhar?

Alan: Nós pensamos pelo lado positivo da coisa, a divulgação e o alcance que nossa música está tendo. Hoje em dia é impossível não ter algum material “vazado” na rede, não achamos que iria acontecer de forma tão rápida com nosso álbum e acabamos ficando bem surpresos. Se não me engano, com apenas dois dias de lançamento já tinha uns dez sites russos com o álbum disponível pra download. Não acho que isso vá atrapalhar nossas vendas porque as pessoas tem comprado o CD mesmo quando fizeram o download antes, e outro fator positivo é que as pessoas geralmente compartilham aquilo que gostaram e está sendo muito legal ver esse compartilhamento em vários países. Recentemente tivemos uma resenha vinda da Austrália, convite para resenha da Hungria, entrevista para a Turquia, sem contar uma página do Vietnã e China também com novos links para download do álbum. Se não podemos contra a internet vamos aproveita-la!

 

GROUNDCAST Como eu havia citado numa outra pergunta, sabemos que o Alan é bibliotecário, e quanto aos outros membros da banda, o que fazem quando não estão no palco? E em algum momento vocês sentiram dificuldade em conciliar o trabalho com a banda?

Vinícius: Eu estou concluindo a faculdade de Geografia e sou Professor, o Alan como você citou, também está terminando a faculdade e é bibliotecário, o Rafael trabalha na parte de TI em uma empresa e o Leonardo cursa Engenharia de Produção e é formado em Segurança do Trabalho. Pra falar a verdade às vezes temos que abrir mão de um ensaio por conta do trabalho. Como ainda não conseguimos viver da música, não podemos deixar de trabalhar! Precisamos pagar nossas contas e nos alimentar! rs

 

GROUNDCAST Com o recente lançamento do primeiro álbum da banda quais são os próximos passos? Planos para gravar outro vídeo clipe, uma possível turnê fora do RJ?

Alan: Queremos lançar outro vídeo, talvez um clipe ou lyric video. Estamos divulgando nosso contato para shows e negociando pela região sudeste. Gostaríamos mesmo de fazer uma turnê nacional, mas acho que primeiro sairá uma sul americana.

 

GROUNDCAST A cena carioca nos últimos anos tem crescido cada vez mais, mesmo que lentamente, algumas bandas vão lançar seus primeiros álbuns este ano, outras surgindo com seus primeiros registros… Enfim, o que vocês acham das bandas que estão movimentando a cena? Existe alguma banda que vocês acreditam que tem um futuro promissor?

Alan: Acho que o Rio de Janeiro está bem forte em qualidade e quantidade de bandas, e o processo segue lentamente pela falta de espaço. São poucos lugares para fazer eventos e o apoio à cena ainda não é o desejado por todos os envolvidos. Das bandas que estão sempre na atividade e tem futuro eu destaco a Left Hand, Vociferatus e a Hatefulmurder.

 

GROUNDCAST Bom, agradeço a paciência da banda conosco, e para finalizar essa entrevista, gostaria de pedir que deixassem alguma mensagem para os fãs da banda.

Vinícius: Obrigado pelo espaço e pela excelente entrevista! Quero convidar todos vocês a participarem de todos os eventos, independente se vamos tocar ou não. São vocês que fazem tudo isso continuar, cada vez mais as bandas estão se profissionalizando para poder apresentar o melhor. Nos vemos nos próximos shows meus amigos!

Alan: Esperamos conseguir sempre mais nessa caminhada como um tributo a todos vocês que nos apoiam, agradecemos imensamente aqueles que nos acompanham e nos mandam energias positivas. Nosso objetivo é sempre recompensar vocês com um trabalho superior, um show destruidor e uma grande amizade. Obrigado a todos vocês que estão com a gente, e obrigado Heavy Metal!

Links Relacionados:

Facebook

Bandcamp

Merch Oficial

E-mail: agonaofficial@gmail.com

Compartilhe
Share