Home Review Deventter- Empty Set (2013)

Deventter- Empty Set (2013)

91
1
SHARE

Eu já disse o quanto o metal nacional anda saturado de más ideias. Basta ver que sempre as nossas grandes “promessas” sempre fazem mais do mesmo, o que torna a situação complicada para grupos de outros gêneros, então não é novidade que este disco do Deventter tenha passado batido. Uma pena, pois se trata de um dos grandes nomes da nova leva de bandas brasileiras.

Este é o terceiro disco deste grupo, cuja sonoridade é um rock/metal alternativo com diversas influências, que vão do pop ao progressivo. “Old Major”, grande single da banda, possui uma sonoridade que remete ao HIM e ao “pop rock de preto”, com uma melodia grudenta e bem executada, enquanto “Popenstein” arrisca um metal industrial na mesma linha do Dope Stars Inc, incluindo uma linha vocal que não deve nada para o Victor Love. “Blank Death”, assim como “I330” são puro rock alternativo, com fortes traços de melancolia, remetendo em alguns momentos ao Muse, com uma roupagem mais pesada. “Stains” é uma música mais padrão, na mesma linha de grupos como o Adept.

“Yellow Paper” traz um ar mais modern ao som, com umas passagens bem interessantes e um jeitão remetendo ao modern rock, assim como “In Limbo”, com alguns elementos de trip-hop, metal alternativo, que pode soar desagradável para os ouvidos mais acostumados com um som “clássico”. “No…Deal” é uma música de rock alternative puro, com uma leve tendência ao cabaret music, ainda que de forma bem tímida. “3 Bullets Left, 4 Enemies” é uma boa balada, que traz alguma complexidade ao som do Deventter, sem perder o tom de modernidade, enquanto “Blank Label” continua com uma pegada mais leve e mais pop, quase como um resgate da sonoridade prog/pop de grupos como o Marillion.

“Same River” segue a linha da música anterior, um pop/rock com progressivo muito bom, uma linha de baixo marcante e um vocal grudento. “Progressive Disorder” mescla trechos em português, falados, com letras em inglês, criando uma combinação bem interessante. “Wallow In Nostalgia” retoma a linha mais pop/prog, com uma melodia bem grudenta, mesmo para a música mais longa do trabalho. “Curtains Will Retreat” retoma o rock dos anos 70 com um toque de cabaret, menos tímido e mais impressionante que em “No… Deal”.

O disco não é exatamente um trabalho de prog metal ou de prog rock como vem sendo colocado: é uma mistura interessante de estilos mesclados a um rock alternativo de alta qualidade. Merece figurar entre os melhores trabalhos de 2013 sem sombra de dúvidas.

 

1. Old Major (3:48)

2. Popenstein (5:38)

3. Blank Death (4:24)

4. I330(4:25)

5. Stains (4:56)

6. Yellow Paper (4:07)

7. In Limbo (4:04)

8. No…Deal (4:29)

9. 3 Bullets Left, 4 Enemies (5:16)

10. Blank Label (4:57)

11. Same River (6:25)

12. Progressive Disorder (5:26)

13. Wallow In Nostalgia (8:39)

14. Curtains Will Retreat (6:00)

Compartilhe
Share