Home Artigos Dez músicas que nunca tocarão numa balada gótica

Dez músicas que nunca tocarão numa balada gótica

78
2
SHARE

O Brasil tem alguns problemas que em outra ocasião comentei em se tratando de baladas góticas, entretanto talvez não exista um mais irritante que a repetição: Raramente há mudança no repertório de 99% dos DJs aqui no Brasil em se tratando de música. A maioria repete músicas dos anos 80 como uma tradição com medo de arriscar a quebrar esse tabu, outros tocam EBM e Industrial mais EBM pelo apelo popular, muitos góticos gostam de EBM além de seu “trance de gótico”. Existiu também um princípio de renovação com alguns deathrockers (um tipo de gótico que quer ser punk, ou o contrário), mas quando eles descobriram o que estavam tocando resolveram parar de escutar – e de tocar. A sensação de que todas as baladas góticas são iguais é algo que se deve muito a isso.

Mas não irei nesse momento falar das razões disso. Tratarei de bandas esquecidas no geral por cometerem o terrível pecado de serem novas (pós-2000), serem confundidas por outros estilos, por frescura pseudo-política ou por ignorância mesmo. Não dá pra citar todas que eu gostaria de ouvir ou que mereciam, mas pelo menos dez músicas já está de bom tamanho…

Os dez esquecidos

 

1)    Pretentious, Moi? – Witchhouse

Esse é o hit da banda que lançou seu álbum no final desse ano, encaixa bem em várias músicas e é muito dançante. Por que não toca? Porque é goth rock e, infelizmente, as pessoas daqui aparentam acreditar que a última banda de gothrock foi London After Midnight e que tudo no estilo se resume a anos 80.

2)    New Days Delay – Automotive

A banda alemã já tocou anteriormente, entretanto quando descobriram que ela tocava Goth Rock/ Surf Rock ela desapareceu, embora ainda seja possível escutar seu hit da época Tiny Monsters & Furry Little Creatures. A banda lançará cd esse ano e já divulgou a música que pode ser ouvida na coletânea “Darkness Before Dawn Vl 3” e por essa mesma razão que não tocará – música nova demais.

3)    Coma Divine – About The Girl

Igual acima, um lançamento. Mas também não toca por outra razão: Embora a música seja ótima, ela lembra um pouco metal (não atoa Coma Divine é ouvido por alguns headbenzes também, veja porque) e dado o trauma que temos desde 2006, eu realmente me pergunto se alguém teria coragem de colocar isso numa pista. Não obstante, eu até acredito que algum fã de Death Rock vai achar que isso é algo pertencente ao seu estilo querido, principalmente caso goste de Tragic Black e All Gone Dead. Coma Divine, por sinal, é outro projeto da banda L’ame Immortalle.

4)    Redemption (bound) – The Siren

A música, como todas do Redemption (bound), é linda. Mas tem um problemão: É muito longa. Embora eu acredite que um DJ cínico poderia colocar essa faixa como num especial Sister of Mercy, só alguém que realmente goste de Goth Rock vai se interessar por uma música assim.

5)    Nuuk – Consolation

É uma música dos anos 80. É uma música bonita. Apesar de não ter refrões grudentos, ela é tão melodiosa que você nem percebe. Pode ser encaixada em vários temas de setlists comuns as baladas góticas. Seu vocalista é o mesmo do Beauty of Gemina. Por que não toca nas festas? Não sei.

6)    MESH – Trust You

Mesma razão acima, só que elevado ao extremo: A banda de synth-pop faz um enorme sucesso na Europa, tem vários clipes pela net (recomendo esse aqui), lançou novo cd, lembra muito as melhores fases de Depeche Mode, Information Society e diversas bandas que marcaram e marcarão várias gerações. Solenemente ignorado.

7)    Kitty in the Casket – Bride of The Monster

Psychobilly. Enquanto lá fora o pessoal mistura isso e todo mundo saí se divertindo, aqui o pessoal só aceita colocar isso em eventos específicos de DR e apenas um pouco. A banda é ótima, a vocalista é gostosa tem uma voz viciante e suas músicas são divertidas para sacudir o esqueleto e mostrar se você consegue dançar com alguém além da parede.

8)    Das Projekt – Necronomicon

O Brasil produz bandas boas de goth rock, apesar de eu achar que o número é superestimado. A banda tem tudo para agradar vários outros públicos além do gótico, têm vários hits e quebra alguns clichês dentro das bandas nacionais. Essa música por sinal é minha favorita da banda. Essa não toca por pura implicância dos outros DJs, mas não faz tanta diferença já que eles não tocam nem as outras com freqüência para serem lembradas…

9)    Deadfly Ensemble – Kriminal Tango

Deadfly Ensemble já foi tocado, pelo que me recordo, mas foi numa pista onde tinha eu e mais duas pessoas – que não devem se lembrar disso. Entretanto, curiosamente eu nunca mais ouvi isso, talvez por entrar num ponto comum de muitas bandas de deathrock: Apenas um público específico conhece e se interessa. Logo, se você tocar Libitina num setlist seguido de várias músicas “DR”, vai ter gente batendo o pé que isso é death rock – e escrevendo páginas para justificar isso na internet. Ok, deadfly ensemble também não é tão deathrock assim, mas são muito mais criativos que as outras milhares de bandas.

10)  ohGr – Cracker

 Indicação do Fabio Melo, já que de música eletrônica no geral eu entendo pouco. Apesar de julgar que no cenário de EBM até se encontra uma renovação mais freqüente, ainda vai demorar muito tempo para tocar isso… Se é que eles sabem o que é isso, a maioria nem sabe o que é Industrial.

 

E vocês? Quais são as músicas ou bandas relacionadas ao gótico que vocês mais gostam e que nunca ouvirão tocar numa balada gótica?

Compartilhe