Home Entrevistas ENTREVISTA: Cadaveria

ENTREVISTA: Cadaveria

199
0
SHARE

International reader, please click here for the interview in English.

“Apenas gostaria de dizer como foi importante para mim essa entrevista, Cadaveria, vocalista que acompanho desde que era um garoto, alguém que posso dizer que fez meu gosto musical por boa parte de minha adolescência e que tive o imenso prazer de entrevistar, gostaria de agradecer pela boa vontade e por disponibilizar seu tempo para responder nossas perguntas.”

Primeiramente, muito obrigado pela entrevista, acompanho sua carreira desde o Opera IX e posso dizer com toda certeza de que você influenciou e influencia muitos até hoje. Recentemente estive na Itália e conheci muitas bandas boas por lá. É uma honra te entrevistar.

Cadaveria: De nada!

GroundCast: Então, para começar, gostaria de saber de onde veio o nome “Cadaveria” (o verdadeiro nome da Cadaveria é desconhecido*) e quando a música entrou em sua vida e você decidiu ser uma vocalista?

* Boatos dizem que ela revelou seu nome em uma entrevista

Cadaveria: As raízes do meu apelido vem da minha atração pelas trevas e por tudo que é desconhecido. Veio do meu amor pela morte e pela pede diáfana dos mortos, por coisas em cemitérios e etc. Tenho escutado música desde que era uma garotinha, mas somente por volta dos meus quinze anos que comecei a ouvir Heavy Metal. Uma noite, no porão, fundei minha primeira banda, Marciume, tocando Punk/Death Metal e com letras sem sentido algum, em 1991. Um ano após eu entrar na Opera IX, entendi que música era o meu caminho.

GroundCast: Quais são suas influências?

Cadaveria: As primeiras bandas que escutei foram Venom, Napalm Death, Holy Moses, Mercyful Fate, Black Sabbath, Death, Celtic Frost…

GroundCast: No começo, você foi uma das primeiras vocalistas femininas a cantar algo predominante masculino, com um vocal “rasgado”. Ccomo foi a aceitação do publico no começo?

Cadaveria: Posso dizer que eu era uma exceção em uma cena dominada por homens bastardos! Estes eram incapazes de acreditar que era uma garota cantando. Por conta disto ter acontecido antes antes da internet se popularizar, não existiam fotos espalhadas por todo lugar, ou seja, não havia meios de saber quem estava cantando, exceto se comprassem nossas demos, 7” EPs, vinis ou CDs.

GroundCast: Muito tempo se passou desde que você saiu do Opera IX. Como você descreveria a Cadaveria de “antigamente” e a “nova” Cadaveria. O que mudou em sua percepção musical e influências?

Cadaveria: A principal diferença entre as duas é o fato que cresci, me tornei uma mulher e abri meus horizontes para novos interesses. Pode-se perceber nas músicas que canto, nas letras que escrevo. Agora sou dona de mim mesma e me sinto livre para experimentar qualquer coisa na música com a minha voz. Isto significa que algumas vezes abraçarei novos estilos (isso pode ser visto em minha performance com o DyNAbyte), e em outras voltar para as minhas raízes Black Metal. Tudo isso acontece naturalmente, sem me preocupar com julgamentos dos fãs ou achar que estou traindo a mim mesma.

GroundCast: Vejo que na Itália há muitas boas bandas como “Stormlord”, “Fleshgod Apocalypse”, “Novembre”, “Rhapsody of Fire”, “Elvenking” e muitas outras. Algo diferente aparece na sonoridade de vocês, o que você acha que a Cadaveria tem de diferente das outras bandas?

Cadaveria: Não sei te responder, apenas posso dizer que nossa música é muito pessoal e reconhecível, mas não sei qual a formula para que isso aconteça. Nunca seguimos nenhuma tendência e quem sabe seja esse o segredo da Cadaveria e de tantas outras bandas.

GroundCast: Normalmente músicos possuem empregos (sendo a banda algo paralelo), isto acontece com você? Você vive da sua música?

Cadaveria: Não, não consigo viver da minha música. Na Itália é muito difícil viver tocando Metal, pois não existe nenhum suporte vindo da mídia e a maior parte da população escuta Pop, rock ou outros tipos de músicas “fáceis de ouvir”. Vivo produzindo vídeos e outros trabalhos ocasionais. Música é apenas paixão, algo que faço com amor, mas que muitas vezes é tão desgastante quando um emprego.

GroundCast: Estamos em um período que é muito fácil se conseguir músicas na internet. Qual sua opinião sobre tudo isso?

Cadaveria: Bom, graças ao MP3 e a Internet, descobri muitas bandas as quais nunca seria capaz de encontrar de outra forma (acredito que até mesmo esta entrevista seria inviável se não fosse pela internet). Quando baixo uma música, se realmente gosto do som, compro os CDs, vou aos shows e dou todo suporte que consigo. Poderia dizer que a Internet é uma grande fonte de conhecimento hoje em dia, mas nós estamos sendo escravizados por ela.

GroundCast: Recentemente você gravou o álbum “Horror Metal”, após anos com a banda “parada”. Fale-nos sobre este novo passo na carreira da banda e por qual razão o disco se acha “Horror Metal”?

Cadaveria: Eu estou muito animada com este disco, completamente satisfeita para ser mais sincera. Diria que é meu melhor trabalho. O som é direto, poderoso, antigo, mas atual ao mesmo tempo. É o álbum mais sombrio que poderia ter gravado e a atmosfera das músicas reflete bem isso. Desde o álbum “The Shadows’ Madame” de 2002, fãs e críticos sempre descreveram o estilo da banda como “Horror Metal”. Eu apenas me utilizei disso e posso afirmar que o novo álbum se encaixa perfeitamente com essa classificação.

GroundCast: Mas qual o motivo de ter demorado tanto tempo para gravar?

Cadaveria: Acredite você ou não, nós nunca paramos de trabalhar nos últimos cinco anos. Nós promovemos o ultimo álbum “In Your Blood” até 2010 com algumas datas no exterior, neste meio tempo eu e John estávamos ocupados com o segundo álbum do DyNAbyte. As primeiras semente do novo album da Cadaveria foram compostas em 2009, mas apenas em 2010 nós tivemos tempo de começar uma pré-produção e então nos dedicarmos inteiramente para o álbum. Produzimos o álbum autonomamente, algo que fez com que nos dedicássemos 100% na banda, tanto nas composições, quanto na mixagem e masterização.

GroundCast: Existe algum conceito por trás do novo álbum? E como foi a aceitação do publico após tantos anos sem um lançamento?

Cadaveria: Não existe nenhum conceito por trás do novo album, exceto as trevas. As letras foram escritas em diferentes períodos. Cada música tem sua identidade. Liricamente falando, as influências são muitas, literatura, cinema, experiências pessoais. A reação dos fãs foi ótima e muitas reviews positivas. Agora é questão de promovermos a banda para que o público veja que a Cadaveria está de volta.

GroundCast: Como você descreveria a cena Heavy Metal na Itália?

Cadaveria: Depois de quase dois anos de estagnação na cena local, agora vejo as coisas se movimentando novamente. Novos bares estão nascendo e as atividades parecem melhorar. Infelizmente não posso dizer o mesmo das bandas, a cena ainda é dominada pelos mesmos grupos de antigamente. Não consigo ver iu talvez ainda não tenha se manisfestado nenhum músico promissor.

GroundCast: Alguma vez já surgiu um convite para tocar no Brasil? Acredito que muitas pessoas adorariam ver um show seu por aqui.

Cadaveria: Chegamos bem perto disso há uns três anos, mas algumas coisas deram errado. Desde vez tentaremos fazer o melhor para que isso aconteça, gostaria de levar o “Horror Metal” para os palcos brasileiros.

GroundCast: O que você conhece do Brasil?

Cadaveria: Bem, Sepultura, Angra, Soulfly, Vulcano, Sarcófago. Muitos amigos meus já estiveram no Brasil, então sei as diferenças entre nossos países pelos relatos deles. Acredito que vocês são uma terra em movimento e que amam estar em festas.

GroundCast: Alguma vez você já teve algum problema com fãs?

Cadaveria: Quando nós tocamos no México, tivemos um public bem agitado, mas sempre muito respeitosos. Felizmente nunca tive problemas com os fãs.

GroundCast: O que você espera para o futuro da banda?

Cadaveria: Fazer uma tour de verdade. Cadaveria e o “Horror Metal” merecem isso.

GroundCast: Se você não fosse vocalista, o que seria?

Cadaveria: Uma artista visual, provavelmente pintora.

GroundCast: Muito obrigado pela entrevista, foi uma grande honra para mim entrevistá-la, algo parecido com um sonho virando realidade. Agora este espaço é o seu para dizer o que quiser para os fãs brasileiros e leitores do GroundCast.

Cadaveria: Obrigada por tudo! Olhem as novidades no facebook (http://www.facebook.com/cadaveria) e no site (http://www.cadaveria.com/) e escutem nosso novo álbum. Vejo vocês cedo ou tarde! Keep the metal flame alive! \m/

Compartilhe
Share