Home Entrevistas ENTREVISTA: Dead Season

ENTREVISTA: Dead Season

67
0
SHARE

For international reader, please use this link

Dead Season é uma banda de Thrash Metal francesa, com passagem muito marcantes e uma sonoridade madura e agressiva. Agradará fãs de Testament e Nervermore, entre outros. Confira abaixo a entrevista que Guillaume Singer, guitarrista da banda nos concedeu.

DeadSeasonPort

GroundCast – Primeiramente, conte-nos, como tudo começou?

Guillaume Singer: Bem, as coisas começaram a andar há algum tempo quando conheci o Nicolas, baixista da banda. Tínhamos muitas influências em comum e começamos a compor músicas e procurar músicos.

Levou um tempo até conseguirmos um bom line-up. Perguntamos para o Gregoire (baterista) se ele gostaria de se juntar a nós. Tocamos com outras bandas e fomos apresentados para Julien, nosso vocalista.

GroundCast – Falem das influências da banda.

Guillaume Singer: Temos influências do que podemos chamar de “clássico” dentro do Metal: Megadeth, Testament, Death, Pantera, Grip. Inc., Martyr e Nevermore são algumas das que posso citar agora. Também temos Shining, Panzeballet, Freak Kitchen ou Satyricon. Além disso, temos nossos gostos pessoais fora do metal.

GroundCast – Recentemente vocês lançaram o álbum “From Rust to Dust” e as músicas que ouvi são simplesmente brilhantes, fortes, com personalidade. Posso dizer que é um dos meus CDs preferidos (e um dos melhores lançamentos) de 2013. Como funcionam as composições, como são feitas as coisas?

Guillaume Singer: Primeiramente, obrigado. Sou o principal compositor da banda, trago a maior parte do material e depois fazemos todas as modificações juntos. Algumas poucas músicas são feitas nos ensaios, pois a maioria é feita no meu Home Studio. Somos extremamente “chatos” com nossas músicas, escolhemos a dedo o que fica e o que não fica para banda, sabemos exatamente o que queremos para a Dead Season. Os arranjos são geralmente feitos com Nico e temos a preocupação das letras.

Nós gravamos este álbum no estúdio de Simon Fache, um grande tecladista amigo meu. Ele fez realmente um ótimo trabalho como engenheiro de som e nos trouxe ideias brilhantes.

DSFrTd

GroundCast – Fale-nos da aceitação do álbum, como tem sido a resposta do público e o que está trazendo para a banda?

Guillaume Singer: O álbum foi lançado em janeiro, com ótimas resenhas e boa aceitação. Tentamos quebrar barreiras e ser conhecidos fora da Europa. Existem muitas bandas e isso é muito difícil de conseguir. Com este primeiro trabalho, queríamos ser notados.

GroundCast – Qual o próximo passo para a banda?

Guillaume Singer: Temos algum material que não foi gravado, estamos trabalhando nele e possivelmente teremos algo novo em breve. Estamos tocando em alguns festivais e procuramos por um tour manager, espero que consigamos isso em breve.

GroundCast – Como vocês descrevem o som que tocam?

Guillaume Singer: Posso dizer que é algo como “Modern Thrash Metal”. Temos uma forte influência de Thrash Metal nos riffs. Além disso, temos grande influência de Death e Black Metal. Com tudo isso, tentamos fazer algo que possamos reproduzir ao vivo sem problemas.

GroundCast – Tenho conhecimento de muitas bandas francesas boas, com um diferencial no som e eu poderia ficar o dia todo falando delas. O que pensa ser o diferencial no som de vocês, que faz com que soem como qualquer outra banda?

Guillaume Singer: Realmente não sei. Acredito que bandas como Gojira quebraram a barreira francesa e nos trouxeram um pouco de reputação. É meio recente isto, pois caso pegue nossos grupos do passado, temos coisas desastrosas. Mas fico feliz que agora podemos mostrar qualidade e fazer boa música.

GroundCast – Vocês tem algum projeto que queiram compartilhar conosco?

Guillaume Singer: Como disse antes, temos material extra e estamos atualmente trabalhando na finalização dele. Estamos também trabalhando em um segundo álbum, mais pesado e mais rápido! E vamos lançar um clip no meio deste ano.

GroundCast – Estamos na época da internet, onde tudo pode ser baixado gratuitamente e de modo muito fácil. O que

DSLineUppensam sobre isso?

Guillaume Singer: Esta é uma boa pergunta. Somos um pouco sortudos pelas pessoas comprarem nossos CDs, camisetas, geralmente os fãs de metal são colecionadores, respeitam as bandas que gostam e adquirem seu material sempre que possível. Isso provavelmente se deve ao fato de que ou eles também têm bandas ou são amigos de pessoas que têm banda.

A verdade é que essa coisa de download ilegal gera um problema monetário, com certeza, mas bandas pequenas não ganham muito dinheiro com vendas, então não temos que nos preocupar. Adoraria que pudéssemos ganhar um pouco mais com vendagens. Algumas bandas pagam para tocar, isso com certeza é péssimo para nós e para todas as outras bandas. Voltando ao assunto da internet, sim, você pode ter tudo, mas muitas vezes não com a melhor qualidade, você tem que ser seletivo. Muitas bandas concordam com isso e outras não, mas não importa se você está a favor ou contra, nada mudará esta situação.

GroundCast – Vocês são profissionais no ramo da música ou têm algum outro emprego?

Guillaume Singer: Eu trabalho profissionalmente com música, mas a Dead Season não me paga o suficiente, é praticamente um investimento pessoal. Trabalho muito com adolescentes (roadies), entre outras coisas que deixariam a entrevista chata se eu começar a falar hahahahahaha. Nico trabalha muito, mas sempre encontra um tempo para música (e atualmente está substituindo um baixista de uma banda que está fazendo turnê com o Vader), Julien é técnico de som, Gregorie é atualmente engenheiro de som e Guy-Noël trabalha como professor de guitarra.

GroundCast – Obrigado pela entrevista, deixo este espaço para vocês falarem com os leitores e deixarem sua mensagem. Boa sorte com seu trabalho.

Guillaume Singer: Olá brasileiros metaleiros (não falamos português!), obrigado por tudo.

Espero que essa seja a ocasião para que os brasileiros conheçam a banda. Nosso álbum de estréia pode ser ouvido pelo bandcamp ou no revebnation e, se preferirem, podem comprar o nosso CD em versão física ou digital. Espalhem a palavra se gostarem, mas caso não, fiquem calados e apoiem as bandas que vocês gostam. Obrigado pela entrevista.

Links: Facebook

ReverbNation

Compartilhe
Share