Home Entrevistas ENTREVISTA: Oubliette (Mike Low)

ENTREVISTA: Oubliette (Mike Low)

42
0
SHARE

You can read this post in: Inglês

10505390_798204400222042_3892518775870649936_nOubliette é uma banda de Melodic Death Metal dos Estados Unidos. Seu primeiro lançamento foi em 2014 com o CD Apparations. Trazendo influências como Dissection e Alcest a banda apresenta uma som muito bem construído e que deve agradar aos fãs do estilo. Confira abaixo a entrevista que fizemos com o guitarrista  Mike Low.

GroundCast: Para começar, conte-nos como foi o começo da banda.

A idéia do projeto começou em 2011, Emily e eu queríamos gravar uma música ou duas, algo puxado para o Folk/Black Metal, algo que ela pudesse gritar e cantar. O som evoluiu rapidamente em algo e após nós gravarmos as duas músicas simplesmente continuamos a fazer. No começo queríamos que o projeto ficasse apenas entre a gente, mas ele acabou se tornando uma banda.

GroundCast: What are your influences?

Todo tipo de coisa. Eu realmente amo Pagan/Black/Folk coisas como Moonsorrow e Windir, mas amo na mesma proporção coisas como Dissection, Alcest e a fase mais old school do In Flames.

GroundCast: Ano passado vocês lançaram seu primeiro material “Apparitions”, o que você pode nos dizer sobre esse disco?

Liricamente falando ele varia, mas na maior parte elas falam de algo sombrio ou pessimista. Apenas para dizer algumas…”Creatures of the Endless Slumber” e “Whispers” são baseadas em sonhos que Emily teve. A primeira foi após um sonho que ela teve depois que sua prima faleceu. Foi uma época difícil para ela e pouco tempo depois disso ela sonhou com a prima. “Howls of Death” é sobre a paralisia do sono, algo que Emily e eu sofremos inúmeras vezes. As letras para “The Fog” foram escritas por nosso amigo Eric Gordon, que tocou bateria na primeira demo dessa música. Ele me enviou algumas letras que ele escreveu e eu realmente adorei.

Falando um pouco do álbum, ele foi gravado em três cidades diferentes. Todas as guitarras foram gravadas na minha casa. Doug e Vincent gravaram também em suas respectivas casas. Eu mixei as coisas primeiro, mas depois decidimos entrar em contato com Zak Denham (do Anagnorisis) para remixar e fazer a máster.

GroundCast: Como é o processo de composição? E na parte das letras, tem algum escritor principal?

Eu componho a maioria das músicas e Vincent fez alguns riffs para o álbum, Emily apareceu com algumas letras. Eu acredito que no futuro vai ser algo mais colaborativo e as letras provavelmente ficaram como são, comigo e Emily escrevendo-as, algo como 50/50.

Groundcast A banda existe desde 2014, mas apenas lançou um material em 2014, por qual razão demorou tanto tempo para algo ser lançado?

Em 2011 e 2012 nós lançamos algumas demos no Bandcamp, nesse momento a banda era apenas Emily e eu. Quando chegamos no ponto de começar a escrever um álbum, chamamos Doug e Vincent e então eles contribuíram com algumas idéias que ajudaram a terminar o álbum. Doug começou a gravar a bateria na metade de 2013 e eu estava ocupado com um álbum da minha outra banda e outras gravações. Com isso eu não tive tempo de terminar tudo para o primeiro álbum antes de 2014.

GroundCast: Quais são os próximos passos na carreira da banda?

Nós acabamos de fazer o cover de “Thorns of Crimson Ddeath” to Dissection, que você pode encontrar no nosso Bandcamp. Encontramos um segundo guitarrista (Todd Harris) e ele já começou a ensaiar conosco. Nós pretendemos fazer shows no começo de 2016 e eu escreve algum materia para nosso Segundo álbum.

 

GroundCast: O que você acredita que define a banda, o que faz vocês soarem como Oibliette e como você descreveria isso?

É difícil dizer, eu acho que dinâmica, melodia é algo que nos define. Tem uma boa mistura de melodic Black Metal e Death Metal, com uma mistura de vocais limpos e urros.

GroundCast: Vivemos na era da internet, pessoas conseguem baixar praticamente tudo e muitos musicos reclamam disso. Qual a sua opinião a respeito e o que você acha que a indústria da música deve mudar?

Downloads são algo bom para bandas ganharem mais fãs, mas hoje em dia eu acho que as bandas não precisam mais se preocupar tanto com isso, pois temos serviços como Spotify e Bandcam. O que eu acho ridículo é que o Spotify paga quase nada para as bandas. Eu adoraria saber para onde a indústria da música vai, então eu estaria um passo a frente. Eu ainda gosto de comprar cópias fisícas, pois com isso eu tenho uma conexão muito maior com o álbum.

Groundcast: Você tem alguma outra banda ou projeto que gostaria de compartilhar aqui?

Algumas, sou guitarrista da Inferi, uma banda de Melodic/Technical Death Metal. Vincent tem uma excelente banda de Folk/Melodic Death Metal chamada Aether REalm. Eles estão terminando de gravar seu segundo álbum. Nosso novo guitarrista tem uma ótima banda de doom chamada Battle Path. Eles acabaram de lançar seu terceiro álbum (Ambedo) e eu recomendo que vocês o escutem.

Groundcast. Obrigado pela estrevista, agora o espaço é de vocês para dizer algo a nossos leitores.

Obrigado pela oportunidade e aguardem novidades para 2016.

Facebook

Compartilhe
SHARE
Previous articleFail #1
Next articleRadiola # 02
Ilustrador, designer, vocalista, artista plástico e pentelho ans horas vagas. Fã de heavy metal e outras coisinhas mais.