Home Review Hortus Animae – Godless Years (2014)

Hortus Animae – Godless Years (2014)

124
0
SHARE

Godless Years

Depois de lançar, em 2012, uma coletânea reunindo todos os ‘full lengths’, agora é a vez de o Hortus Animae compilar seus lançamentos raros juntamente a material inédito. Com capa criada por Aaron Stainthorpe (vocalista do My Dying Bride), Godless Years é um álbum duplo em embalagem de DVD. Ao todo, são cinco trabalhos que incluem demos, single, ao-vivo e ‘outtakes’ do novo álbum, Secular Music. O primeiro disco faz valer a aquisição por quem não conhece a banda, mas não é tão aproveitável para os fãs. Abrindo com os covers recém-gravados do Entity e do Baratro – dois grupos de Death Metal oriundos de Rimini (pequena província italiana da qual provém o Hortus Animae) -, cujas versões foram feitas imbuídas de tamanha personalidade que parecem composições próprias, com violinos e teclados bem presentes.

Hortus Animae

O disco continua com o medley do Dead Can Dance, Windfall Introducing Summoning Of The Muse, cantado por Liv Kristine (Leaves’ Eyes), e sua versão instrumental. Em seguida, temos as versões demo das músicas do segundo álbum, Waltzing Mephisto, que não possuem diferenças relevantes em relação às versões finais. Já o segundo disco é valioso para quem acompanha a banda. Contendo uma de suas poucas apresentações, realizada em 2002, além das primeiras gravações de 1998, que revelaram músicos diferenciados na cena Black Metal. Destaque para a execução ao-vivo da longa A Lifetime Obscurity Pt. 2, com magistrais arranjos progressivos, e a primeira versão de Souls Of The Cold Wind, provando que suas influências Gothic/Avant-garde estão presentes desde os primórdios.

Compartilhe
Share
SHARE
Previous articleChaos Synopsis: entrevista na revista Hell Divine #19
Next articlePrimator: ouça a faixa que leva o nome do grupo

Após algumas experiências escrevendo em blogs de música, editei sozinho uma revista sobre Black Metal em 2012. Foi lançada apenas uma edição, que me proporcionou a oportunidade de escrever para a Roadie Crew a partir de março/2013. Lá me limito apenas ao Black Metal e bandas de outras vertentes com temáticas ligadas ao ocultismo/satanismo. Apesar de ter um gosto musical variado, nutro um fascínio por esse estilo e temáticas relacionadas. No Groundcast, meu foco é a Música Eletrônica, principalmente de caráter oculto/satânico.