Hortus Animae – Godless Years (2014)

Godless Years

Depois de lançar, em 2012, uma coletânea reunindo todos os ‘full lengths’, agora é a vez de o Hortus Animae compilar seus lançamentos raros juntamente a material inédito. Com capa criada por Aaron Stainthorpe (vocalista do My Dying Bride), Godless Years é um álbum duplo em embalagem de DVD. Ao todo, são cinco trabalhos que incluem demos, single, ao-vivo e ‘outtakes’ do novo álbum, Secular Music. O primeiro disco faz valer a aquisição por quem não conhece a banda, mas não é tão aproveitável para os fãs. Abrindo com os covers recém-gravados do Entity e do Baratro – dois grupos de Death Metal oriundos de Rimini (pequena província italiana da qual provém o Hortus Animae) -, cujas versões foram feitas imbuídas de tamanha personalidade que parecem composições próprias, com violinos e teclados bem presentes.

Hortus Animae

O disco continua com o medley do Dead Can Dance, Windfall Introducing Summoning Of The Muse, cantado por Liv Kristine (Leaves’ Eyes), e sua versão instrumental. Em seguida, temos as versões demo das músicas do segundo álbum, Waltzing Mephisto, que não possuem diferenças relevantes em relação às versões finais. Já o segundo disco é valioso para quem acompanha a banda. Contendo uma de suas poucas apresentações, realizada em 2002, além das primeiras gravações de 1998, que revelaram músicos diferenciados na cena Black Metal. Destaque para a execução ao-vivo da longa A Lifetime Obscurity Pt. 2, com magistrais arranjos progressivos, e a primeira versão de Souls Of The Cold Wind, provando que suas influências Gothic/Avant-garde estão presentes desde os primórdios.

About André Gaius

Após algumas experiências escrevendo em blogs de música, editei sozinho uma revista sobre Black Metal em 2012. Foi lançada apenas uma edição, que me proporcionou a oportunidade de escrever para a Roadie Crew a partir de março/2013. Lá me limito apenas ao Black Metal e bandas de outras vertentes com temáticas ligadas ao ocultismo/satanismo. Apesar de ter um gosto musical variado, nutro um fascínio por esse estilo e temáticas relacionadas. No Groundcast, meu foco é a Música Eletrônica, principalmente de caráter oculto/satânico.