Home Artigos Melhores de 2012 (Fernando Melo)

Melhores de 2012 (Fernando Melo)

120
0
SHARE

Criar uma lista com os 10 melhores lançamentos do ano é realmente uma covardia, 2012 me surpreendeu bastante com lançamentos, espero que 2013 consiga superar, segue aqui uma lista com dez álbuns que considerei os melhores de 2012 e já peço desculpas por não colocar alguns, mas é impossível listar todos que realmente gostei, então vamos lá.

10 – Shining – Redefining Darkness



Shining-Redefining-Darkness

Quebrando todo e qualquer preconceito que alguém possa ter com Depressive Black metallic, o grupo sueco surpreende com Redefining Darkness.  Com uma atmosfera empolgante o álbum de seis faixas é uma boa pedida para os que gostam do estilo. Possuí belas partes com violão que dão uma “vida” diferente para as músicas. Gostaria de pedir maior atenção para faixa “Hail Darkness Hail”, que na minha opinião é a melhor do álbum.

09 – Grand Alchemist – Disgusting Hedonism

grand-alchemist-disgusting-hedonism

Após 10 anos de seu primeiro lançamento “Intervening Coma-get together” o grupo de Symphonic Black metal norueguês lança Disgusting Hedonism, seguindo a mesma essência de seu primeiro álbum, mas ainda assim soando diferente. Temos bastante ênfase nos teclados que são bastante predominantes nas músicas. Espero ecu que não demore mais 10 anos para um próximo lançamento.

08 – My dying Bride – A Map of All our disasters

mydyingbrideamaptoallourfailurescover

É até covardia falar do My dying Bride, não tem nem o que comentar. My dying Bride é My dying Bride. eu esperei ansioso por esse álbum desde que eles anunciaram seu lançamento e não me decepcionei. Qualquer comentário a cerca desse álbum não seria honesto o suficiente para ele.

07 – Abske Fides – Abske Fides

Abske

Banda nacional aparecendo aqui, o Abske Fides mostra para que veio e com esse álbum marca mais um passo na carreira da banda. Para os amantes de Doom metal é um prato cheio e podem ouvir sem medo. Isso sim é orgulho nacional.

06 – Anaal Natrhakh – Vanitas

AnaalNathrakh_Vanitas

Essa banda com certeza divide público, quem ama e quem odeia. Realmente não é algo para “todos”, tem elementos eletrônicos que chegam a ser “bizarros” no meio das músicas. Como marca da banda as letras nunca são publicadas e destaque para a “Todos Somos Humanos”.

05 – lifeless Can Dance – Anastasis

Dead-Can-Dance-Anastasis

Outro que é covardia falar algo a respeito, simplesmente escutem essa obra-prima da música.

04 – everlasting Deformity – the fantastic thing about Chaos

ETERNAL DEFORMITY - [2012] The Beauty of Chaos

Pesado e melódico na medida certa, com vocais rasgados, guturais e limpos na medida certa. O grupo Polonês surpreende e com certeza mostra que na Polônia não existe só o Behemoth e o Vader. Thy Kingdom Come, Pestilence Claims no larger objective e The solar são na minha opinião as melhores faixas do album.

03 – Stealing Axion – Moments

StealingAxion_Moments

Considerada uma banda de innovative demise metallic, o Stealing Axion estreou bem com um full-lenght. Moments é cheio de passagem que com certeza agradará os ouvintes. Na minha opinião o álbum tem que ser escutado inteiro, mesmo sem ser conceitual as músicas se encaixam e dão corpo ao todo.

02 – Ne Obliviscaris – Portal of I

Ne-Obliviscaris-Portal-of-I

O tão aguardado lançamento do Ne Obliviscaris. Demorou, mas saiu e saiu muito bem, mesmo contendo as músicas da demo (ou seja, praticamente 50% do álbum já era conhecido) a banda surpreende com as complexidades das composições, as músicas longas podem assustar, mas escute-as, pois você nem perceberá que são tão compridas. Ótimo lançamento e que a banda lance algo em breve.

01 – Xanthochroid – Blessed He with Boils

Blessed_He_With_Boils_album_art

O album saí apenas dia 21 de Dezembro (no dia do fim do mundo), mas ecu já o recebi digitalmente e posso lhes dizer que está magnifico. Essa é mais uma banda que mostra que o Symphonic Black metallic pode ser diferente do que o Dimmu Borgir toca (e tem tocado), infelizmente ainda faltam alguns dias para o lançamento oficial, mas assim que sair, ESCUTEM!

 

BÔNUS

Swallow the sun – Emerald forest and the Blackbird



swallow-the-sun-emerald-forest-and-the-blackbird-2lp-white_original

Acho que apenas meu IPod sabe o quanto eu toquei esse álbum nele quando saiu, realmente muito bom. Gosto de tudo do Swallow the solar e mesmo eles não sendo mais tão doom metallic quanto no começo, sempre me surpreendem.

 

RECOMENDAÇÕES

“A Frail becoming” do daylight Dies, “Passengers” do FireScent, “Season of the Raven words” do Lethian dreams, “Horror steel” da Cadaveria e “Orkan” do Vintersorg, foram álbuns que ouvi bastante esse ano e recomendo.

DECEPÇÕES DO ANO

Sem dúvida nenhuma o “Time I” do Wintersun, quando ouvi senti como se tivesse adquirido uma TekPix, prometem tanta coisa e quando você vai usar não tem nada demais. Senti isso ouvindo esse álbum, foi tão prometido e com uma propaganda tão grande que eu fui ouvir e quando acabou falei “good enough, só isso?”. Realmente a espera foi para nada, pois vi apenas mais um álbum de Melodic dying metal muito bem produzido, mas sem nada demais.

EXPECTATIVAS FRUSTRADAS

Em nenhum momento os álbuns lançados abaixo são ruins, mas para mim deixaram a desejar, outros lançamentos esse ano merecem mais atenção.

Borknagar – URD

Artwork

Temos um dream workforce aqui e ai lançam um CD. Ouvi ele com tanta expectativa que acho que o álbum ficou até “ruim” quando coloquei para tocar. São tantos músicos bons, mas com um trabalho mediano, quem sabe na próxima.

Moonspell – Omega White/Alpha Noir

moonspell-omega-white

ecu sei que muitos vão me xingar, mas é o que european penso. É Moonspell, esperava algo muito melhor vindo deles, não é um álbum ruim, maaaaaas ecu acho que o ano teve muitos outros lançamentos melhores.

Ihsahn – Eremita

ihsahn-eremita

Ihsahn boys que me desculpem, mas na minha humilde opinião “Eremita” é de longe o melhor trabalho que Ihsahn fez, na verdade para mim ele foi “decaindo” álbum após álbum, nem as participações especiais salvaram. Meu preferido ainda é o primeiro “The Adversary” e o “angL”, os outros dois, realmente não me surpreenderam.

 

Compartilhe
Share