Home Artigos O incrível mundo do Doom Metal

O incrível mundo do Doom Metal

625
0
SHARE
Desde a década de 80 esse gênero já vem se destacando em vários estilos do Heavy Metal e em grandes bandas. Mas, para provar que não é só naquela época, nos dias atuais, muitas bandas cresceram, se desenvolveram e criaram seu próprio mundo dentro do Doom Metal.

Músicas longas, depressivas, com temas melancólicos e sombrios; uma atmosfera mórbida e pesada… Essas são as principais características do Doom Metal. Mas com o tempo, o Doom Metal foi ganhando proporções diferentes, recebendo a fusão de outros estilos e formando vários subgêneros. Em poucas palavras, tentarei fazer uma pequena abordagem dos principais gêneros, retratando em cada um, as bandas que os encenam no incrível mundo sombrio do Doom Metal.

Death/Doom Metal: Sem sombras de dúvidas, uma das principais bandas representante do Doom/Death Metal é o Katatonia. Formada em Estocolmo, Suécia, em 1991, por Jonas Renkse (vocal) e Anders Nyström (guitarra). O Katatonia se caracteriza por músicas principalmente melancólicas, depressivas, com alusão aos sentimentos ligados à emoção, tristeza e perturbação. A banda já passou por vários momentos. No começo da carreira, os álbuns tinham bastante peso e densidade. Atualmente, as músicas encenam melodias calmas e um enfoque especial na voz de Jonas Renkse.

Música: Dead Letters
Outras bandas:
Amorphis, Anathema, Novembers Doom, My Dying Bride.

Atmospheric Doom: Não tem como falar desse gênero sem se lembrar de bandas como Lethian Dreams. É uma banda francesa formada em 2002, por Carline Van Roos (vocal, teclado, bateria, baixo e guitarra) e Matthieu Sachs (guitarra e teclado), que se destaca na mistura de vários gêneros, sendo o tema central a atmosfera etérea, crua e mórbida, a qual é possível notar influências do Black Metal e também do Shoegaze, um dos gêneros que mais cresce na França. Detalhe para as músicas com riffs marcantes de guitarra.

Música: Dawn
Outras bandas: 
The 3rd and the Mortal, The Fall of Every Season, Elegeion, Void of Silence.

 Folk Doom: Este é um estilo que abrange a temática folclórica da música com o uso de viola, violões, flautas, teclados e vocais que oscilam do lírico ao mais pesado. A banda alemã Empyrium se destaca no estilo, iniciada em 1994 por Ulf Theodor Schwadorf (vocal, guitarra, baixo, bateria e percussão) e Thomas Helm (vocal, piano e teclado). Também com o uso de e instrumentos acústicos e sinfônicos combinando com a melancolia, o drama e o romance, característicos do Doom Metal.

Música: Dying Brokenhearted
Outras bandas: 
Uaral, Silent Stream of Godless Elegy, Kauan, Estatic Fear, Forest of Shadows.

Proto Doom: Talvez poucos conhecem este subgênero que é destinado às bandas precursoras do Doom Metal, iniciada na década de 60. Uma das principais bandas é o Pentagram, fundada em 1971, nos Estados Unidos. A temática da banda mesclava outros gêneros como o Blues-Rock e o Heavy Metal, além dos temas próprios do Doom como a melancolia, usando técnicas da música pesada e distorcida, com riffs sombrios e macabros. A formação da banda teve várias reviravoltas, momentos de impopularidade e desorganização, mas a formação clássica foi na década de 70 e contava com Bobby Liebling (vocal), Vincent McAllister (guitarra), Greg Mayne (baixo), e Geof O’Keefe (bateria).

Música: Forever My Queen
Outras bandas: 
Black Sabbath, Bedemon, Candlemass, Saint Vitus, The Obsessed.

Funeral Doom: Um estilo bastante diferente de todos e com a temática mais mórbida entre os gêneros. Bem lento, pesado, com vocais e guitarras distorcidos, dando ênfase ao peso extremo. O nome “Funeral Doom” faz uma referência com a “marcha fúnebre”, caracterizando a lentidão nas músicas. O vocal gutural fica bastante minimizado comparado com outros estilos musicais, o que contribui para uma atmosfera arrastada, melancólica e depressiva.  Thergothon é uma das bandas referenciais do Funeral Doom, fundada em 1989, na Finlândia. Sua formação contava com Niko Skorpio (vocal), Nikko Ruotsalainen (guitarra) e Jori Sjüroos (vocal e bateria). Eram peculiares por usar sintetizadores e a mistura de vocais limpos e guturais, além do efeito grave pela ausência do baixo.

Música: Elemental
Outras bandas: Worship, Stabat Mater, Skepticism, Mournful Congregation.

Gothic Doom: Um gênero que aborda várias temáticas e a influência de outros estilos do Metal, mas, sem deixar da verdadeira essência do Doom. Abrange estilos como Gothic Metal/Rock, tendo a banda Draconian como representante original do estilo. Considerada uma das bandas mais pesadas do estilo, Draconian foi formada em 1994, na Suécia. Suas músicas caracterizam pela presença da melancolia densa combinada com o romantismo e toda obscuridade do Doom Metal. A formação conta com o poeta e vocalista Anders Jacobsson, Johan Ericson (guitarra, backing vocals), Daniel Arvidsson (guitarra), Jerry Torstensson (bateria), Fredrik Johansson (baixo) e Heike Langhans (vocal).

Música: Seasons Apart
Outras bandas: Paradise Lost, Nox Aurea, Tristania, Swallow the Sun, Saturnus.

O mundo do Doom não para por aqui. Os tantos subgêneros se entrelaçam em tantos outros e molduram a temática sombria e fantástica desse grande gênero. Um estilo que é precursor de vários outros e responsável pelo grande talento e sucesso das bandas que conseguem encantar e fazer novas tendências dentro da música pesada.

Compartilhe
Share
SHARE
Previous articleLinks da semana – Groundlinks
Next articleShadowside anuncia longa tour ao lado do Helloween pela Europa
Amante das Artes Gráficas e tentando ser jornalista. Movida por música e nada mais. Inspirações principais do Black Metal, Doom Metal e o maravilhoso, Death Metal. Também curte algumas mulheres fodas que competem com os anjos nos talentos vocais.