Home Review WOVOKA / LLNN: – „Traces / Marks“ (2017)

[Review] WOVOKA / LLNN: – „Traces / Marks“ (2017)

88
0
SHARE

1.LLNN – The Guardian (3:42)

2.LLNN – Swarms (2:54)

3.LLNN – Engineer of Ire (2:09)

4.LLNN – Nostromo Falls (2:49)

5.LLNN – Eye of the Covenant (3:47)

6.LLNN – Gravitated (5:16)

7.Wovoka – Traces (17:29)

Sludge/Hardcore, Doom/Sludge/Post-Metal, Pelagic Records

Esse é um daqueles discos que são uma pancada sonora das brutas no ouvido e que merecem ser reescutados quantas vezes forem necessárias. Temos de um lado os dinamarqueses do LLNN, com toda a brutalidade do Sludge e do Hardcore, trazendo material do seu primeiro trabalho, e os americanos do Wovoka com a densidade de seu doom metal carregado na aura do post-metal em um trabalho inédito.

Do lado do LLNN começamos com The Guardian, que começa bem amena, com um drone em estilo krautrock, que é subitamente cortado por um riff áspero e forte, seguido dos vocais urrados e uma mudança de andamento que transforma a sensação de ouvir num caos auditivo bastante intenso ao final da música. Swarms é um hardcore sombrio e sujo, daqueles que ficam martelando pelas ótimas sequencias de bateria intercaladas com a guitarra e que remetem aos tempos primordiais do Neurosis, um dos grandes pilares do Post-Metal, que à época fazia um hardcore bastante influenciado por metal. Engineer of Ire é sem dúvida uma das faixas mais impressionantes desse trabalho, pois traz em si um tom mais épico e imponente.

Na faixa seguinte, Nostromo Falls, temos a volta do drone krautrock, mas mais distorcido, para anunciar a entrada de uma música ainda mais angustiante do que a anterior. Em Eye of the Covenant, que soa como uma continuação da faixa anterior, o clima continua trazendo mais desespero e mais peso, mais melancolia e mais morbidez, junto de algumas passagens bem de leve com o uso de sintetizadores. Este pedaço do split se encerra com a Gravitated, que é a música mais longa dos dinamarqueses, mostrando uma faceta mais experimental e ambiente, com muito sintetizador, quase como a trilha sonora de um filme sombrio de ficção científica.

O Wovoka traz apenas uma única música, de quase dezoito minutos chamada Traces. Ela resume bem o estilo da banda, que está enraizada num sludge bem lento, com ótimas partes de guitarra e uma bateria muito forte, puxando um lado do hardcore e até mesmo do post-rock que farão qualquer fã do Cult of Luna e do Minsk ficarem muito felizes.

Esse é um puta disco, é um baita trabalho que dá vontade de escutar mais e mais. Mostra uma concisão e uma maturidade como banda que tem sido cada vez mais raros dentro da cena alternativa, mostrando que é possível apostar num som interessante sem recorrer a receitas prontas.

Links Relacionados

WOVOKA • https://www.facebook.com/officialwovoka

LLNN • www.facebook.com/llnnband

www.pelagic-records.com

Compartilhe
Share