Home Entrevistas Scent of Misery: entrevista com Lorenz Van Funj

Scent of Misery: entrevista com Lorenz Van Funj

66
0
SHARE

You can read this post in: Inglês

LorenzSabe quando você está de bobeira e sem nada para fazer? Estava eu ouvindo a playlist do Soundcloud quando me deparo com esta maravilhosa banda, o SCENT OF MISERY. Lorenz Van Fünj, vocalista e tocador deste projeto, nos concedeu esta bela entrevista. Apague as luzes, abra um vinho e leia.

GROUNDCAST Estou muito orgulhoso em descobrir uma banda gótica na Itália. Para iniciarmos esta entrevista, diga algo sobre a banda, o início, essas coisas.

LORENZ VAN FÜNJ Depois de muitos anos tocando em outras bandas como baixista, decidi me dedicar apenas ao meu projeto e à minha música. Por isso, em 2011, formei o SCENT OF MISERY. Compus uma canção da demo “Uromantic” em 1998 e este som nunca saiu da minha cabeça! Tenho trabalhado muito em cima das canções, elas precisam de muito tempo porque sou muito exigente. Este projeto ficou trancafiado no meu coração e na minha mente por muito tempo … e agora é hora de libertá-lo! Antes tarde do que nunca 😉

GROUNDCAST A Itália é um país conhecido pelas bandas de metal, como RHAPSODY, HOW LIKE A WINTER, CADAVERIA (que já entrevistamos), HIGHLORD, LACUNA COIL… por que escolheu fazer uma banda de darkwave/goth rock?

LORENZ VAN FÜNJ Não foi uma escolha tocar gothic rock, eu não sigo tendências. Apenas sigo meus instintos, sentimentos e o que vem é natural para se tocar. Gothic rock me dá a chance de expressar a mim mesmo, com a paixão e o amor real à música.

GROUNDCAST Como é a cena gótica italiana? Conheço apenas bandas como o THE LOVECRAVE, a nova fase do THEATRES DES VAMPIRES (com uma música mais orientada ao gothic metal) e noto que a cena italiana parece ser muito pequena.

LORENZ VAN FÜNJ Mais que pequena, é uma cena desconhecida. Na Itália já muitas boas bandas, mas é muito difícil arrumar um local para tocar, pois há cada vez menos clubes que oferecem espaço para a música autoral (eles preferem bandas cover) e nenhuma gravadora parece interessada em investir em novas bandas.

Scent of miseryGROUNDCAST As novas bandas góticas têm uma tendência a usarem música eletrônica em suas composições, mas o SCENT OF MISERY tem uma musicalidade mais orientada para o rock. Por que decidiram não adotar estes elementos eletrônicos?

LORENZ VAN FÜNJ Porque gosto dos instrumentos reais, como as cordas, piano, guitarra e baixo. Sou um músico que ama a música tocava fisicamente.  A música eletrônica não me atrai, eu a considero sem alma, fria e fácil de executar. Quando você diz “música gótica”, penso sobre o uso dos instrumentos clássicos, não-eletrônicos.

GROUNDCAST Bem, falando sobre sonoridade, quais as influências da banda? Noto traços de grupos como THE 69 EYES em sua fase gótica, mas com alguma coisa dos anos 80. Como você define a sua música?

LORENZ VAN FÜNJ THE 69 EYES é uma das minhas bandas favoritas… mas no topo está o TYPE O NEGATIVE. Também gosto do KATATONIA, THE CURE, SISTERS OF MERCY e outras mais. O nosso som tem muitas influências, mas ainda sim com uma cara original. Penso que ao longo do tempo iremos soar totalmente originais… é o que espero no futuro.

GROUNDCAST Como é a cena gótica italiana? Aqui no Brasil, apesar de muitos entusiastas, não temos uma cena tão bem estruturada como a Alemanha e a Inglaterra, por exemplo. Além disso, esta situação se repete na América Latina.

LORENZ VAN FÜNJ Tanto a Itália e quanto o Brasil não têm a mesma cultura, raízes, formas de pensar e a mentalidade das pessoas como Alemanha e Inglaterra. Rock não faz parte da nossa cultura. Somos países latinos. Seremos sempre uma minoria e, evidentemente, estes países são ricos.

GROUNDCAST E como você vê a cena gótica na Europa hoje?

LORENZ VAN FUNJ A cena gótica na Europa está crescendo, embora as pessoas continuam a curtir as bandas mais antigas.

GROUNDCAST Uma coisa que sempre pergunto às bandas é sobre o compartilhamento de mp3. Vocês lançarão o primeiro álbum em breve e gostaria de saber qual a opinião de vocês sobre este assunto. No Brasil, por exemplo, muitos artistas fazem shows e são conhecidos porque muitas pessoas fazem o download de suas músicas.

LORENZ VAN FUNJ Estamos vivendo em uma nova geração de música, onde é cada vez mais difícil vender um disco físico. É muito mais fácil agora ser conhecido com o compartilhamento de arquivos, com a internet e as redes sociais. Quando eu era mais jovem costumava mandar fitas cassete de bandas por carta, havia mais shows e a cena era muito mais viva do que agora, especialmente no circuito underground. Agora os meios que a sua música seja conhecida são melhores, mas a qualidade fica prejudicada. O primeiro álbum de Scent of Misery sairá em cópias físicas e arquivos digitais como manda a tradição… ahahaha!

GROUNDCAST O que podemos esperar para o primeiro álbum?

LORENZ VAN FUNJ Não espero nada do primeiro álbum. Apenas gostaria que a minha música passasse pelas pessoas, deixando -lhes algo especial, esta é a coisa mais importante que pode acontecer a um artista.

GROUNDCAST Muito obrigado, espero vê-lo em seu primeiro disco e tocando muito. Então, agora, deixe uma mensagem para os nossos leitores.

LORENZ VAN FUNJ Muito obrigado por me entrevistar. Escutem boa música, sigam seu coração, protejam a sua alma, pensem com a cabeça.

Cheers !!

Lorenz Van Fünj

Links Relacionados

http://soundcloud.com/scent-of-misery

www.reverbnation.com/scentofmisery

https://www.facebook.com/creepygreenlightstudio

https://www.facebook.com/pages/Scent-Of-Misery

Compartilhe
Share