Home Entrevistas SUICIDE COMMANDO: Entrevista com Johan Van Roy

SUICIDE COMMANDO: Entrevista com Johan Van Roy

111
0
SHARE

O SUICIDE COMMANDO é um dos mais bem sucedidos e respeitados projetos da cena dark-electro mundial. Com discos memoráveis, como Critical Stage (1994), Axis Of Evil (2003), Bind, Torture, Kill ‎(2006) e outros, serve também como influência para diversos outros projetos da mesma linha mais agressiva. O mentor do projeto, Johan Van Roy, nos concedeu esta maravilhosa entrevista abaixo.

GROUNDCAST Esta é a primeira vez para um site brasileiro entrevistar a mente por trás do SUICIDE COMMANDO, Johan Van Roy Para darmos início à entrevista, gostaria de te perguntar como foi o seu começo como um músico dedicado à música eletrônica. Quais são suas inspirações?

JOHAN Para isto precisamos voltar um pouco no tempo, lá para o meio dos anos oitenta para ser mais exato. Comecei a fazer música em 1986 sob o nome de SUICIDE COMMANDO, inspirado por bandas como FRONT 242, KLINIK, SKINNY PUPPY, FAD GADGET

GROUNDCAST É o SUICIDE COMMANDO seu primeiro projeto?

JOHAN Sim, você pode considerar o SUICIDE COMMANDO como meu primeiro projeto “real”. Antes dele, eu toquei baixo e diz alguns trabalhos com outras pessoas, mas nada realmente sério.

GROUNDCAST O SUICIDE COMMANDO começou em 1986, junto de bandas clássicas como FRONT 242, A SPLIT SECOND, DIE KRUPPS etc. A sonoridade das primeiras demos era próxima do “old-school EBM”, mudando para o Electro-Industrial em trabalhos posteriores. Por que você decidiu mudar o direcionamento musical do projeto?

JOHAN Pra mim foi apenas uma evolução natural e um passo a ser dado. Isto é mais o que eu podia fazer com o equipamento limitado que usei anteriormente, com o passar do tempo, o SUICIDE COMMANDO foi mudando à medida que tive mais condições de comprar equipamentos. Contudo, acho que era mais a questão de dinheiro como nos dias de hoje comprar um sintetizador ou alguns samplers ainda custa uma fortuna.

GROUNDCAST Os últimos trabalhos do SUICIDE COMMANDO são mais dançantes, menos pesados e menos “harsh”. Há alguma razão para isto?

JOHAN Não acho que eles estejam menos pesados ou menos “harsh”, mas claro que são diferentes dos trabalhos anteriores. Para mim é apenas um passo natural em minha carreira. Sempre fiz e continuo a fazer minhas coisas, então nunca tive nenhum compromisso com alguma sonoridade específica. Mas talvez a música resultante seja diferente hoje, mas a forma de trabalhar e o espírito por trás da música ainda é o mesmo do começo da carreira. Bandas como KLINIK ou FRONT 242 sempre terão alguma influência em mim, mesmo que você não note.

GROUNDCAST Li numa entrevista que você é influenciado pelo KLINIK, mas considero sua música diferente, com mais força e poder. Como você define sua música?

JOHAN Você está certo sobre isto, acho que a música do KLINIK é mais experimental, enquanto a minha é mais limpa e dançante, mas o espírito e as bases são bem similares. Acho que apenas temos uma maneira diferente de expressar.

GROUNDCAST Muitos artistas do meio EBM/Electro-Industrial não gostam de dividir espaço com os góticos, pois dizem que o gênero não combina com nada “dark”. Qual a sua opinião sobre isto?

JOHAN Cresci numa época em que o gótico e a música eletrônica andavam de mãos dadas em clubes e festas, você podia facilmente tocar uma música gótica sombria e um EBM após isto, mas alguma coisa nesta tendência desapareceu, pelo menos aqui na Europa. Agora ambos os estilos estão estritamente separados, só não me pergunte o porquê… Contudo, não sou um fã do gótico e gosto da diversidade de antigamente, agora toda música que se escuta numa casa noturna parece a mesma.

GROUNDCAST Como você vê a cena EBM/Electro-industrial hoje?

JOHAN Bem, ainda estou feliz em ser parte de uma cena eletrônica, isto significa muito para mim. Ainda gosto da cena de hoje, a despeito da falta de diversidade. Tenho a impressão de que tem tantas bandas soando parecidas hoje e que isto é uma tendência que me deixa um pouco apreensivo.

GROUNDCAST Em muitos discos vejo muitos remixes feitos por outros artistas e você remixando muitas músicas. Você gosta de remixar? Por quê?

JOHAN Não tenho feito remixes há um bom tempo por falta de tempo. Mas agora finalmente comecei a fazer alguns e, por exemplo, terminei de fazer um remix para o FUNKER VOGT.

GROUNDCAST No disco “X.20”, uma compilação comemorativa, há um cover para a música “Love Breeds Suicide“, feito pelo ANTHONI J. Por que incluir este cover no álbum?

JOHAN Simplesmente porque esta versão era tão boa para não ser usada. Eu simplesmente amo a versão do Anthoni e temos tentado fazer mais outros trabalhos juntos, mas, infelizmente, o tempo não tem nos permitido.

GROUNDCAST Com o avanço tecnológico, é “mais fácil” para gravar e produzir música, hardware e software estão se tornando mais acessíveis a pessoas comuns. No entanto, muitos críticos e músicos dizem que está se tornando a música pobre e repetitiva. O que você pensa sobre isto?

JOHAN Não digo que isto faz a música ficar mais pobre e repetitiva, mas é fato que agora temos montes de músicos, mas, infelizmente, isto nem sempre significa ter muita qualidade. Então, de fato, temos muitos lançamentos medíocres e pobres, mas ainda acredito que há boa música o suficiente e estou convencido de que a boa música e as boas bandas vencerão no final. Só precisa de pouco mais de pesquisa para encontrar os bons lançamentos, mas eles ainda estão lá.

GROUNDCAST Alguma vez você já teve algum problema por causa da temática explícita das canções do SUICIDE COMMANDO?

JOHAN Felizmente, ainda não tive muitos problemas, mas não é realmente assim tão fácil de andar sobre esta linha tênue entre o que é permitido e o que ainda é muito explícito. Eu me lembro de uma mãe (que veio com sua filha de 7 anos para o show) tentando nos processar depois de fazer um show ao ar livre em um festival, por causa dos vídeos explícitos e controversos que estávamos mostrando. Mas, além deste incidente, devo dizer que raramente temos problemas.

GROUNDCAST O que acha do Anhalt EBM? Concorda com o resgate da identidade “oldschool”?

JOHAN Cresci com o movimento oldschool, então ainda amo este som, por outro lado, não gosto desse pessoal de mente estreita tentando colocar tudo em determinadas caixas e estilos… para mim não é apenas bom música e música ruim, se é chamado de EBM, industrial, harsh electro… há boa música em todos os estilos.

GROUNDCAST Em 2012, durante o Festival Kinectic, o grupo AD·VER·SARY criticou os temas sexistas do COMBICHRIST e do NACHTMAHR. Qual a sua opinião sobre isto?

JOHAN Só posso julgar por mim mesmo, de modo o que as outras bandas fazem ou acreditam não depende de mim. Sei que SUICIDE COMMANDO também foi criticado por causa do nosso videoclipe para “Die Motherfucker Die“, onde puxo os cabelos de algumas garotas seminuas. Algumas pessoas me culparam por ser hostil com as mulheres etc. Aparentemente algumas pessoas não veem a ironia de tudo isso, mas tudo o que posso dizer é que estou longe de ser hostil com as mulheres. São os diretores de cinema e cineastas criticados por toda a violência mostram em seus filmes? Quero dizer, basta ligar sua TV e você vê a violência ou temas sexistas a cada dia, então tudo é apenas um reflexo da realidade diária.

GROUNDCAST Agora vamos a uma questão muito controversa: qual é a sua opinião sobre o compartilhamento de mp3? Em países como o Brasil, é impossível encontrar qualquer material, como os trabalhos do SUICIDE COMMANDO. Ouvi todas as músicas do SUICIDE COMMANDO pela internet, como em canais do YouTube.

JOHAN Acho que é uma faca de dois gumes, por um lado, compartilhar mp3 e realizar downloads ilegais estão, definitivamente, diminuindo as vendas de CDs físicos, mas por outro lado o download também pode ser uma ferramenta promocional para as pessoas descobrirem novas bandas e lançamentos. E também entendo que as pessoas em países como o Brasil (e muitos outros), onde o nosso CD é tão bom quanto impossível de encontrar, peço que baixe a nossa música, mas ainda sugiro baixá-la legalmente em lojas digitais como o iTunes, por exemplo; Infelizmente, agora você ainda tem um monte de empresas ilegais que oferecem mp3 e ainda cobram por ele, mas no final das contas a banda / artista / autor não receberá um único centavo e isso não é certo.

GROUNDCAST Na Europa, há uma crise econômica gigante em muitos países. Como isso afeta seu trabalho e qual é a sua opinião sobre esta situação?

JOHAN Com certeza, a crise econômica está nos prejudicando em muitos aspectos e tem um efeito negativo sobre a cultura (shows, vendas de CD …). Mas, felizmente, a situação na Bélgica não é tão ruim quanto em países como Espanha, Chipre, Portugal, Itália … onde um monte de pessoas está desempregada. É claro que é uma evolução triste, mas de certa forma era esperado.

GROUNDCAST Você conhece algum artista brasileiro?

JOHAN Bem, conheço o REAXXION GUERRILLA é claro, e conheço bandas como AGHAST VIEW, mas, por alguma razão, não há muitas bandas novas que surgem no Brasil, pelo menos não que eu saiba.

GROUNDCAST Você recebeu alguma proposta para tocar no Brasil?

JOHAN Sim e, como as coisas parecem estar neste momento, finalmente poderemos tocar no Brasil no final deste ou início do próximo, mas nada está confirmado ou concreto ainda. Mas mantenham os dedos cruzados para que isto aconteça! Nosso primeiro show no México no ano passado foi um tremendo sucesso, então estou realmente ansioso para tocarmos no Brasil também.

GROUNDCAST Poderia nos contar alguma situação engraçada ou estranha durante a turnê do SUICIDE COMMANDO?

JOHAN Oh, realmente estranho foi o ataque de um engenheiro de luz no nosso show em Los Angeles no ano passado, durante a nossa primeira turnê nos EUA. Tivemos problemas com o som e as luzes em todas as noites durante nosso show no clube Bunker Das, por isso, para a minha decepção, culparam o engenheiro de luz e som por fazer um serviço ruim, mas, aparentemente, o engenheiro não se deixou levar pelas críticas e então correu no palco e queria me derrubar, mas, por algum motivo, ele não me acertou e foi expulso do palco pelo nosso tour manager e depois foi espancado no meio da multidão por nossos fãs. Isso certamente foi uma coisa louca que nunca aconteceu com a gente antes e espero que nunca aconteça de novo.

GROUNDCAST Hoje em dia você é um dos maiores nomes da cena EBM / Electro-industrial. O que acha disto?

JOHAN Claro, é muito lisonjeiro e uma honra ser clamado como um dos maiores nomes da cena EBM / electro. Quando comecei a fazer música em 1986, nunca poderia ter imaginado (nem mesmo em meus sonhos mais loucos) me tornar um dos principais atos da cena e de compartilhar o palco com meus grandes heróis como FRONT 242, KLINIK, FRONT LINE ASSEMBLY, NITZER EBB, SKINNY PUPPY. Estou feliz que a minha música, de alguma forma, tornou-se imortal agora.

GROUNDCAST Bem, muito obrigado pela entrevista, acho que fiz perguntas demais, agora, é o seu espaço para deixar uma mensagem aos nossos leitores. Manda bala.

JOHAN Bem, deixe-me em primeiro lugar agradecer a todos os nossos fãs brasileiros pelo seu apoio sem fim! Sem ele, eu não seria nada, então obrigado a todos! E, claro, realmente espero que possamos colocar este show brasileiro no mapa em breve e, finalmente, ser capaz de tocar no Brasil! Isso seria mais um sonho se tornando realidade.

Vejo vocês no inferno!

Johan

SUICIDE COMMANDO

Links Relacionados

http://www.suicidecommando.be/

http://www.suicidecommando.be/sites/shop

https://www.facebook.com/IIXIII

Compartilhe
Share