Home Artigos Vergonha Nacional: Antestor é agredido em MG

Vergonha Nacional: Antestor é agredido em MG

105
1
SHARE

Sim, caro leitor do Groundcast. Esta é uma triste realidade, vivenciada pela banda norueguesa Antestor. Segundo o site Chamade News, os integrantes do grupo foram agredidos em sua passagem pela cidade de Belo Horizonte. Ou seja, alguns fãs se acharam no direito de agredir o grupo somente por eles tocarem um estilo de música muito próximo, do ponto de vista instrumental, ao black metal (rotulado por alguns como ‘unblack metal’), cujas temáticas remetem ao cristianismo.

Fãs de metal, em geral, reclamam de preconceitos. De fato, algumas pessoas ainda discriminam os headbangers, não aceitando aquilo que escutam como normal, prejulgam seu estilo de se vestir e outras coisas. Tudo muito válido, tudo muito correto. Contudo, atitudes como esta, feita por alguns poucos desacerebrados e apoiados por uma maioria covarde reforçam o estereótipo de “headbanger é intolerante e burro”.

Em momento algum estou a dizer que TODOS os fãs de metal são assim. Aliás, a maioria sequer tiraria o assento da cadeira para se deslocar até o local do show. Se contentariam apenas em xingar muito no facebook e falar o quanto este é um estilo “falso”. Pois bem, cinquenta indivíduos resolveram sair do conforto de seus lares, com o intuito de agredir a banda, como se isto fosse algo plausível. A desculpa é a de sempre “proteger” um estilo como o black metal. Então eu deixo as seguintes perguntas aos que apoiam este tipo de ato:

  1. O que a banda fez para vocês, ao ponto de ser necessário cometer um crime contra ela?
  2. Em que momento de suas vidas um fã de Antestor ou de alguma banda cristã atrapalhou ou mesmo impediu alguma banda que você goste de tocar por aqui?
  3. Se existe o princípio do “olho por olho, dente por dente”, como alguns apregoam, os cristãos ofendidos podem matar as bandas de black metal que vocês gostam?
  4. É mais importante ir bater nos membros de bandas como o Antestor do que apoiar as bandas que você gosta?
  5. E, para finalizar, o que você ganha com isto?

Não existe nenhum problema em não gostar da banda. É um direito, assim como falar mal dela, ir na porta do show fazer algum protesto (resumindo-se apenas a não agredir, de nenhuma forma, o grupo). Enfim, as pessoas podem se manifestar, é um direito garantido por lei. Mas nada justifica este tipo de covardia contra o grupo. Eu mesmo, que não sou cristão, não ligo para a temática das músicas. É uma banda dentre tantas, com o direito de tocar para quem quiser pagar. Assim é com o Mayhem, com o Gorgoroth e com outros grupos que se denominam satânicos ou satanistas.

Amplie pra ver o quão cultos são os tr00s
Amplie pra ver o quão cultos são os tr00s

O que também não faz sentido é o dito estilo de vida onde se prega morte a quem acredita em Cristo. Vejamos, isto automaticamente coloca estes fãs contra, pelo menos, uns 87% da população, segundo o censo 2012. Terão de ir contra familiares, amigos, vizinhos e toda uma gama de pessoas de fora do seu círculo de black metal. Dos 13% restantes, temos as divisões em outras religiões, onde o “satanismo” certamente ocuparia um lugar bem baixo. Então, é relativamente mais fácil querer atacar todos os cristãos ou declarar morte a eles quando se está no conforto do seu lar. Complicado é querer levar isto a sério, causar uma espécie de “inquisição” a quase toda a população. Um totalitarismo exemplar, diga-se de passagem, considerando que estas pessoas não trabalhem, não estudem, não namorem e muito menos façam coisas que as impeça de “tomarem contato com a escória cristã”.

Pessoalmente, não vejo sentido em nada disto. Não vejo a razão prática ou racional para tanta barbárie. Com isto, o grupo só cresce, só ganha atenção na mídia especializada e seu amado estilo, caro fã fascista, só perde espaço. Por isto, gastem menos energia e se preocupem menos em agredir um grupo de metal cristão e apoiem suas bandas favoritas. O bom senso agradece.

Só lamento que ainda tenha gente que apoie esta covardia… e que tem pelo menos alguém com bom senso.

Compartilhe
Share