Vinte discos góticos que fazem vinte anos em 2018

Use as ← → (setas) para navegar

The Breath Of Life ‎– Sweet Party


Este grupo belga é bem antigo no rolê, existindo desde 1990 e ainda está ativa. Esse disco, em especial, mistura alguns toques de trip hop e lembra levemente os trabalhos mais recentes do Collide.

Dreadful Shadows ‎– Beyond The Maze


O Dreadful Shadows é um desses grupos maravilhosos de gothic rock que infelizmente o povo por aqui desconhece. Encabeçado pelo Sven Friedrich, a banda chegou até a fazer turnês junto de nomes como Christian Death, The Eternal Afflict e foi banda de apoio do Paradise Lost. O grupo voltou a ativa em 2007 apenas para executar shows, enquanto Sven mantem seus trabalhos com o Zeraphine e o Solar Fake.

Ex-Voto ‎– Anno Domini


Vindos de Nova Orleans, os americanos do Ex-Voto se valem de uma musicalidade muito mais orgânica e menos eletrônica, fazendo um deathrock muito competente e muito legal neste disco. Destaque sobretudo para as excelentes linhas de baixo e fortes influências de post-punk.

Shadow Project ‎– From The Heart


O maravilhoso Shadow Project é fruto da união entre o Christian Death e o Super Heroines. Diferente dos discos anteriores ou mesmo das bandas relacionadas, este disco reúne gravações acústicas, contando com Michael Ciravolo (guitarrista do Gene Loves Jezebel), Nathan Van Hala (tecladista do Saviour Machine), Brian Virtue (que já trabalho com bandas como Deftones) e Eva O.

Sanguis Et Cinis ‎– Wie Der Unberührte Traum Einer Jungfrau


Sanguis Et Cinis é uma das minhas bandas austríacas favoritas e este é o terceiro disco da carreira deles. Eles sempre estiveram no meio termo entre o metal e o gothic rock / rock alternativo e em Wie Der Unberührte Traum
Einer Jungfrau é um trabalho que flerta muito com o rock industrial e incorpora alguns elementos do gothic rock oitentista.

Use as ← → (setas) para navegar